Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

O maior banco de dados de mortes no cinema

10 de março de 2011

Hoje é aniversário do ator Chuck Norris, especialista em artes marciais e  filmes de ação. Sua  fama de malvado acabou gerando até os engraçadíssimos Chuck Norris Facts, lembra? Eram frases como “Quando Chuck Norris recebe os impostos, ele manda de volta folhas brancas com uma foto dele agachado, pronto para atacar. Chuck Norris não teve que pagar impostos nunca. Nunca!”.


Mas será que Chuck Norris é tão ameaçador assim? Bem, segundo o site Movie Violence Count Ratings, a resposta é positiva – pelo menos na ficção. Somando seus 28 filmes, o astro “matou” 462 pessoas, o que o torna o sexto maior produtor de  paletós de madeira  das telas. Isso dá uma média de 16,5 mortes por filme. Na verdade, esse número torna Chuck Norris um bom moço quando o comparamos a outros assassinos de mentirinha. Harrison Ford, por exemplo, é responsável por uma média de 30,5 mortes por filme!


O site usa quatro critérios para registrar uma morte em suas tabelas. O mais básico é quando se pode ver o assassinato na tela, sem rodeios. O segundo é a repercussão: um jornal dizendo que o personagem é procurado pela morte de 10 pessoas, por exemplo. Também são contabilizadas as vidas tiradas indiretamente. Vale  se o personagem é mandante de um crime ou liberou um vírus letal. O último critério é o de “escudo”: quando alguém ia ser atingido, mas coloca outra pessoa na frente para se salvar, acaba se tornando responsável por uma morte.

Outra regra importante do site: um filme que tiver uma quantidade de mortes superior à soma de todos os filmes dos dados do Movie Violence Count Ratings não entra na lista para não deturpá-la. Um exemplo dado pelo site é o de Darth Vader – por mais que ele possa ter matado milhões de pessoas ordenando a destruição de planetas em Star Wars, não entra no ranking.

Leia também: Qual é o número de mortes nos filmes de Quentin Tarantino?

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

O dia em que o Capitão 7 disse não a Assis Chateaubriand

O dia em que o Capitão 7 disse não a Assis Chateaubriand

O Capitão 7, como o nome e o número sugeriam, foi criado na TV Record Canal 7, em 1954, mesmo ano em que a TV Tupi Canal 3 lançou o Falcão Negro. O Capitão 7 era interpretado pelo ator Ayres Campos. As suas aventuras tinham uma pegada ligada às histórias de ficção...

O “mendigo da praça”: um personagem, dois atores

O “mendigo da praça”: um personagem, dois atores

Zé Bonitinho, que era o perigote das mulheres, surgiu na TV brasileira no finalzinho dos anos 1950. Foi criado pelo próprio Loredo para a TV Rio e inicialmente escrito pelo Chico Anysio. Pouca gente se lembra (ou sabe) que Jorge Loredo interpretou vários outros...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This