Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Curiosidades sobre Drácula

10 de agosto de 2020
  1. Durante o século XVIII, lendas gregas e sérvias falavam sobre vampirismo. Isso despertou a imaginação do escritor irlandês Bram Stoker (1847-1912). Primeiro ele pensou num personagem chamado Conde Vampiro. Até que um amigo, professor de história, falou de Vlad Tepes, herói romeno do século XV, famoso por sua crueldade. O personagem do livro, lançado em 1897, logo se transformou em Conde Drácula.
  2. Parte da ação do romance Drácula, de Bram Stoker, é passada na cidade romena de Bistrita. Para aproveitar a fama, a cidade batizou um dos seus hotéis de “Coroa de Ouro”, como no livro, e os restaurantes oferecem o cardápio Jonathan Harker, homenagem ao corretor de imóveis inglês que, na imaginação de Stoker, se hospedou no Castelo de Drácula. O cardápio consiste em espeto de carne, toucinho e cebola, temperado com pimenta vermelha, vinho da região, frios, queijos e crepe com geleia.
  3. Também em Bistrita foi fundada a Sociedade Transilvânia Drácula. Para atrair turistas, a entidade criou três roteiros do Drácula Tour. Um deles, que inclui uma noite inteira num cemitério, dá o título de membro da sociedade aos corajosos.
  4. Na cidade de Bran, um castelo atrai turistas usando o apelo de Drácula, embora Vlad Tepes nunca tenha vivido ali. Foi construído em 1377. A única relação é que o castelo pode ter sido atacado por Vlad. Um turista americano morreu do coração ali quando funcionários se escondiam para dar sustos nos visitantes. A brincadeira acabou.
  5. O primeiro Congresso Mundial de Drácula foi realizado em Bukovina, a quarenta quilômetros de Bistrita, em maio de 1995. Reuniu trezentos participantes.

Leia também: Vampiros na ficção

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

O dia em que o Capitão 7 disse não a Assis Chateaubriand

O dia em que o Capitão 7 disse não a Assis Chateaubriand

O Capitão 7, como o nome e o número sugeriam, foi criado na TV Record Canal 7, em 1954, mesmo ano em que a TV Tupi Canal 3 lançou o Falcão Negro. O Capitão 7 era interpretado pelo ator Ayres Campos. As suas aventuras tinham uma pegada ligada às histórias de ficção...

O “mendigo da praça”: um personagem, dois atores

O “mendigo da praça”: um personagem, dois atores

Zé Bonitinho, que era o perigote das mulheres, surgiu na TV brasileira no finalzinho dos anos 1950. Foi criado pelo próprio Loredo para a TV Rio e inicialmente escrito pelo Chico Anysio. Pouca gente se lembra (ou sabe) que Jorge Loredo interpretou vários outros...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This