1. Em 1922, Tarsila do Amaral  juntou-se a Anita Malfatti, Menotti del Picchia, Oswald de Andrade e Mário de Andrade, formando o “Grupo dos Cinco”, que lançou a Semana de Arte Moderna. O grupo era descrito por Tarsila como “bando de doidos em disparada por toda parte no Cadillac verde de Oswald”. Ainda segundo ela, o principal motivo da compra de um Cadillac por Oswald foi a presença de um cinzeiro dentro do carro, item raro em outros modelos. TARSILA SO AMARAL 
 
  2. A primeira exposição individual de Tarsila do Amaral aconteceu em 1926, em Paris. A artista exibiu 17 telas na galeria Percier, a maior parte delas da sua fase “pau-brasil”, inspiradas por uma viagem feita ao interior de Minas Gerais.
  3. Em 1929, a artista expôs 35 quadros no Palace Hotel, no Rio de Janeiro. Foi a primeira exposição de Tarsila do Amaral no Brasil.
  4. Considerada a pintora mais representativa da primeira fase do Modernismo no Brasil, Tarsila recebeu o Prêmio de Pintura Nacional na I Bienal de São Paulo, em 1951.
  5. “Abaporu”, sua tela mais famosa, foi leiloada na Christie’s de Nova York em novembro de 1995. O investidor argentino Eduardo Constantini arrematou-a por 1,5 milhão de dólares. É a pintura mais cara já feita por um artista brasileiro. ABAPORU 
  6. Tarsila do Amaral fez a obra para dar de presente de aniversário a Oswald de Andrade, que na época era seu marido. Juntos decidiram batizá-la com a palavra tupi-guarani cujo significado é “homem que come”. O nome inspirou o escritor a redigir o Manifesto Antropofágico, em que propunha a “deglutição” da cultura europeia e sua reformulação com toques nacionais.
  7. Tarsila foi casada duas vezes. Com André Teixeira Pinto, teve sua única filha, Dulce. Em 1926, ela trocou alianças com Oswald de Andrade. A relação durou 4 anos. A pintora se separou do escritor ao descobrir que ele estava tendo um caso com uma estudante chamada Pagu.
  8. Tarsila do Amaral costumava levar cachaça brasileira em suas viagens ao exterior. Ela enganava os funcionários da alfândega dizendo que era “álcool para passar na pele”.
  9. A pintora ficou presa durante um mês no Presídio do Paraíso, em São Paulo, durante a Revolução Constitucionalista de 1932.
  10. No filme “Eternamente Pagu” (1988), Tarsila do Amaral foi interpretada pela atriz Esther Goés. Eliane Giardini encarnou a pintora nas minisséries “Um Só Coração” (2004) e “JK” (2006).