No dia 8 de julho de 1947, os habitantes de Roswell, no Novo México, Estados Unidos, despertaram com uma surpreendente manchete na primeira página do jornal local: a Força Aérea dos Estados Unidos tinha em seu poder destroços de um disco voador. No dia seguinte, porém, os militares fizeram um desmentido, alegando que eram apenas restos de um balão meteorológico. Nascia assim, o “Caso Roswell”, o mais importante relato da ufologia mundial, que inspirou livros, filmes e séries. Dentre as séries de TV, “Arquivo X” tornou-se um dos mais influentes fenômenos da cultura pop, discutindo temas como descrença a governos, teorias da conspiração e espiritualidade. “Arquivo X” (X-Files), criada pelo californiano Chris Carter, estreou em 1993, e acompanhava dois agentes do FBI: Fox Mulder, que acredita na existência de seres extraterrestres; e Dana Scully, totalmente cética. Juntos, eles investigavam casos estranhos e inexplicáveis, explica o especialista Silvio Alexandre.

“Arquivo X” teve um total de 202 episódios, em nove temporadas (1993-2002), além de duas versões para o cinema. Em 2016, a Fox lançou mais duas temporadas. David Duchovny, que interpretava o agente Mulder, deixou o elenco regular ao final da sétima temporada, sendo substituído por Robert Patrick. Nas duas últimas temporadas, ele contou com a atriz Annabeth Gish, que substituiu Gillian Anderson, para compor a nova dupla do FBI.

Estrelas da série Arquivo X

Da televisão, “Arquivo X” deu origem a livros, histórias em quadrinhos, cards e inúmeros produtos para os fãs. Transformou até os protagonistas em símbolos sexuais. No Brasil, a Editora Mercuryo, dona do selo “Unicórnio Azul”, publicou novelizações da série; histórias originais, livros sobre bastidores e biografias. Um fenômeno de vendas na época. Arquivo X

O slogan da série, “A verdade está lá fora” (The truth is out there), estampou milhares de camisetas. Uma das imagens mais famosas da série é o pôster “Eu quero acreditar” (I Want to Believe), que aparece no escritório de Fox Mulder. A foto usada foi tirada pelo suíço Billy Meier, em 1975. Como os produtores não tinham permissão de uso da imagem, o pôster foi removido na quarta temporada, depois que o fotógrafo entrou com um processo. Quando a série voltou ao ar, em 2016, os criadores licenciaram a imagem e o pôster pode ser usado novamente.