Diante da gôndola do supermercado, como você escolhe entre o chocolate preto e o branco? Minha mãe mandou eu escolher este daqui, mas como eu sou teimoso… Digamos que não é a melhor maneira. Saiba  que o branco pode causar depressão, enquanto o preto tem poderes terapêuticos. Não fui eu que descobri isso, não. Essas  informações estão na série de livros “Eat This, Not That!” (“Coma isso, não aquilo!”), de David Zinczenko, editor-chefe da revista Men’s Health norte-americana. As publicações servem como uma espécie de guia para fazer as melhores escolhas em supermercados, restaurantes, lanchonetes e na cozinha, com

“Eat This, Not That!” (“Coma isso, não aquilo!”), de David Zinczenko

Na edição sobre supermercados, Zinczenko elegeu a pior comida pronta que o consumidor dos Estados Unidos poderia pensar em comprar. É a torta de frango com parmesão da marca Marie Callender’s, que tem 1.060 calorias. O autor mostra a quantidade de calorias de cada guloseima não apenas com números, mas também com equivalências. Segundo ele, a torta equivale a seis donuts da marca Krispy Kreme.

Já no guia para restaurantes há o exemplo de um prato de massa sem molho, com cerca de 800 calorias. Pedir um desses ao garçom seria o mesmo que comer de uma só vez 40 nuggets do McDonald’s, segundo Zinczenko.

Já um prato de batata frita com queijo e molho do restaurante Outback (que também tem filiais no Brasil) foi apontado no livro como a maior bomba calórica dos Estados Unidos. Tem 2.900 calorias, ou o equivalente a 15 donuts da marca Krispy Kreme (sempre eles!).

Também há comparações entre itens do cardápio de um mesmo restaurante. No Burger King,  a recomendação é trocar o cheeseburguer com batatas fritas, que tem 560 calorias, pelo Whooper Jr. com rodelas de cebola, que tem 430.

Veja mais comparações de Zinczenko (entrevista em inglês) e mais atenção na hora de escolher o que vai comer: