As preciosas bolhinhas do champanhe são conhecidas como “perlage” e não devem ser desperdiçadas. Primeiro resfrie a garrafa até cerca de 8 graus centígrados, num balde contendo quantidades iguais de água e gelo. Retire a garrafa do balde, remova a proteção da tampa e desenrole o arame em volta da rolha. Mantenha o dedo polegar sobre a rolha para dar firmeza e ter certeza de que ela não vai escapar sozinha.
Segure a garrafa num ângulo de 45 graus (um guardanapo pode garantir que ela não escorregue) e gire-a, prendendo bem a rolha. Deixe que ela saia com um charmoso e pequeno estouro. Incline a taça e sirva o champanhe até a metade. Quando a espuma diminuir, complete até dois terços da taça e segure pelo cabo ou pela base para que o calor da mão não esquente a bebida.

Se for o caso de uma comemoração mais efusiva, com direito à tradicional cena de derramar champanhe sobre os amigos, igualzinho a dos pilotos de Fórmula 1, balance a garrafa e, com os polegares, empurre a rolha para a frente e para trás até que ela saia, produzindo o som de um tiro. Ela pode atingir uma velocidade de até 60 km/h. Os especialistas em vinho, porém, não recomendam a técnica. Eles dizem que ao sacudir e derramar a bebida perde-se o gás e a espuma, que justamente caracterizam a bebida.