A palavra “afrodisíaco” vem do nome Afrodite, a deusa grega do amor. Diz-se que os afrodisíacos são substâncias às quais se atribui o poder de aumentar o desejo e melhorar a performance sexual. Mas não há comprovação científica a respeito. “O maior afrodisíaco está no fato de manter uma relação com alguém que te excite”, opina a psicóloga Sandra Baptista. O ambiente acolhedor e sensual, os rituais, é claro, contribuem para o clima. A crença sobre essas substâncias vêm de fatores como a aparência entre elas e os órgãos sexuais ou a suposta ação como estimulante do sistema nervoso. Veja alguns exemplos de ditos afrodisíacos:

Álcool
Consumidas em quantidade moderada, as bebidas alcoólicas diminuem a inibição e deixam a pessoa eufórica. Mas o excesso funciona como um depressor do sistema nervoso e provoca a redução da libido.

Alho e cebola
Esses alimentos possuem substâncias que ajudam a dilatar os vasos sangüíneos. A boa circulação é importante para o funcionamento dos órgãos sexuais.

Amendoim
Concentra bastante vitamina E, que é importante para a produção de hormônios sexuais.

Catuaba
Entre os seres humanos, ela é capaz de melhorar a disposição e combater o estresse. Pesquisas mostraram que estimula o apetite sexual dos ratos.

Chocolate
A cafeína contida nele pode fazer mal pois contrai as veias. Mas o chocolate contém o aminoácido triptofano, que aumenta a produção de serotonina (responsável pela sensação de bem-estar).

Ostras
Elas têm zinco, elemento que ajuda na produção de testosterona, o hormônio masculino fundamental para a excitação sexual.

Pistache
Como as outras amêndoas oleaginosas, o pistache tem propriedades afrodisíacas. Ele é rico em vitamina B6, que ajuda na produção de hormônios.