Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Nos tempos dos Cigarros Veado

28 de março de 2011

No começo do século XX, o veado nem era usado como animal-símbolo de chacota aos homossexuais. Era veado com “e” mesmo. Pelo contrário, era até nome de uma famosa marca de cigarro “para chique ou pé-rapado”, como dizia seu jingle.

Os cigarros da marca Veado eram feitos no Rio de Janeiro pela Imperial Estabelecimento de Fumo, a primeira fábrica de cigarros do Brasil. Foi fundada pelo português José Francisco Corrêa, o Conde de Agrolongo. Ele nasceu em 1853 em São Lourenço de Sande, no conselho de Guimarães, ao norte de Portugal.

O Conde veio para o Brasil com 10 anos  na terceira classe de um navio chamado Félix. Foi trabalhar em uma manufatura de cigarros em Niterói e começou a administrar seu próprio negócio aos 18 anos – a produção dos cigarros Veado, feitos à semelhança do fumo francês. Os títulos de nobreza vieram com seu retorno a Portugal, onde ele faleceu em 1929.


Em 1930, a Companhia da Cigarros Veado promoveu um concurso para eleger o “Leader dos Footballers do Brasil”, ou seja, o mais popular jogador de futebol brasileiro. Para votar, o consumidor usava como cédula um maço vazio de qualquer cigarro da marca – como o modelo Monroe, que dava nome à competição. Uma das urnas de votação ficava em frente ao jornal “Diário da Noite” e outro na sede da fábrica. Esta foto mostra o prédio da Companhia de Cigarros Veado na Rua da Assembléia, no centro do Rio de Janeiro. Tente localizar na construção as três imagens da cabeça do animal.


O prêmio era um carro “baratinha”, da fabricante Chrysler. Quem votasse também concorria a prêmios de até 7 contos de réis. Os favoritos à competição eram os jogadores Fortes, do Flamengo, e Russinho, do Vasco da Gama. Russinho venceu com 2.900.649 votos. Cerca de 6 milhões de maços Veado foram vendidos por causa da promoção.

O “Grande Concurso Nacional Monroe” até inspirou o sambista Noel Rosa a criar a música Quem dá mais?, cuja letra diz: “Ninguém dá mais de um conto de réis?/ O Vasco paga o lote na batata/ E em vez da barata/ Oferece ao Russinho uma mulata”.

Prev 1 of 1 Next
Prev 1 of 1 Next

(com os agradecimentos pela sugestão de Douglas Nascimento)

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Coca-Cola: a história contada em pôsteres

Coca-Cola: a história contada em pôsteres

Lançada no mercado em 1886, a Coca-Cola pode ser considerada uma das marcas mais conhecidas e presentes na sociedade. Do fim do século das Ciências à formação da geração Y, passando por duas grandes guerras, a suposta invenção do Papai Noel e o fenômeno da...

8 Comentários

8 Comentários

  1. Dalmo

    Foram os primeiros gênios do marketing com esta idéia da eleição do jogador.
    Se uma cervejaria hoje fizesse uma eleição do “Veado do Brasil”, utilizando-se um rótulo destacado da garrafa, a iniciativa seria impactante e hilária.
    Talvez viesse um processo dos que se sentissem incomodados, mas daí seria história para o futuro.
    E na letra da música, Noel diz que o leiloeiro é quem deveria ganhar o prêmio!
    Muito legal este resgate, o curioso é que ninguém comentou ainda por temor de ser associado: gente, quem não deve não teme! kkkk.

    Responder
  2. Conceição Minten

    Tenho uma coleção de fotos antigas dos fumos e Cigarros da marca Veado. Terá algum valor? Gostaria de vender

    Responder
  3. Welington

    tenho uma caixinha de ferro com imagens do canal do mangue ,da Glória e do pão de assucar com mais de 130anos foi minha avô que ganhou de um padrinho e hoje me deu como presente por saber que amo relíquias

    Responder
  4. Deivid

    Tenho uma caixa de alumínio desta empresa
    Otimo estado… se alguem interessar

    Responder
  5. alcenir

    SOU COLECIONADOR SE ALGUEM TIVER MARCAS ANTIGAS EU COMPRO MEU WHTSAPP 27 999932774 ALCENIR.

    Responder
  6. Claudia corréa Portela

    Sou ainda da família do sr Francisco José e escrevo para dizer que o nome não está correto. Nao é Correia mas sim COORRÊA. Se tiverem problemas falem com a Camara Municipal de Braga/ Portugal onde darão todas as informações sobre o nome. Há la um local chamado Campo da Vinha ou largo Conde de Agrolongo que tem um busto desse benemerito da cidade, e o nome está correto. Agradeço a rectificação. Muito obrigada.

    Responder
    • Beatriz Duarte

      Olá, Claudia
      Pedimos desculpas pelo erro. Já fizemos a alteração.
      Abraços

      Responder
  7. Cláudia

    Muito obrigada. Mas vi agora que escrevi Coorrêa e é corrêa.desculpem o engano.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This