Músicas antigas que contam bem o atual momento político brasileiro

2 de julho de 2017

O Brasil vive um das crises políticas mais severas de sua história. Com esquemas de corrupção sendo descobertos e redescobertos quase todas as semanas, os brasileiros assistem indignados às investigações e condenações a políticos e empresários de todas as áreas.  Se a crise não aparece nas músicas de sucesso dos artistas mais tocados do país atualmente, canções antigas com críticas severas a outros momentos delicados de nossa história ainda são bastante atuais. Antônio Míer, criador da página Caçadores da Música Perdida, selecionou algumas delas.

Renato Russo compôs “Que país é esse?” em 1978

Que país é esse? – Renato Russo (1978)
Lembrada frequentemente por quem quer manifestar descontentamento com o país, “Que país é esse?” comandou o terceiro álbum da Legião Urbana e fez sucesso pela crítica ao momento que o país atravessava no final da ditadura militar. “Nas favelas, no Senado / Sujeira pra todo lado / Ninguém respeita a Constituição / Mas todos acreditam no futuro da nação” e “Terceiro mundo, se for / Piada no exterior / Mas o Brasil vai ficar rico / Vamos faturar um milhão / Vendendo as almas dos índios num leilão” são os trechos mais famosos.

Reunião de Bacana – Ary do Cavaco e Bebeto di São João (1981)
Popular graças ao refrão “Se gritar pega ladrão / Não fica um, meu irmão”, a música ajudou a projetar o grupo Exporta Samba no início da década de 1980 e foi regravada por outros conjuntos famosos como o Fundo de Quintal e Os Originais do Samba. A estrofe que leva ao famoso refrão não tem meias palavras: “Aqui realmente / Está toda nata / Doutores, senhores / E até magnata / Com a bebedeira / E a discussão / Tirei minha conclusão”.

Malandro é malandro e mané é mané – Bezerra da Silva (2000)
Conhecido pelas letras bem humoradas, o sambista compôs esta exaltação à malandragem cujo refrão mais aclamado é justamente o que dá nome à canção: “Malandro é malandro / E mané é mané / Podes crer que é”.

Cowboy fora da lei – Raul Seixas (1987)
Para criticar o coronelismo e a fragilidade do sistema político brasileiro, Raul Seixas lançou essa música com versos bastante diretos: “Mamãe não quero ser prefeito / Pode ser que eu seja eleito / E alguém pode querer me assassinar” e “Eu não sou besta pra tirar uma de herói / Sou vacinado, eu sou cowboy / Cowboy fora da lei / Durango Kid só existe no gibi / E quem quiser que fique aqui / Entrar pra história é com vocês” são alguns exemplos.

Raul Seixas em “Cowboy fora da lei”

Onde está a honestidade? – Noel Rosa (1933)
Para quem acha que a desonestidade dos políticos brasileiros é coisa recente, aí está o samba composto por Noel Rosa em 1933 para comprovar que não é bem assim. “Você tem palacete reluzente / Tem jóias e criados à vontade / Sem ter nenhuma herança nem parente / Só anda de automóvel na cidade / E o povo já pergunta com maldade / Onde está a honestidade?”, questionava o ícone do bairro de Vila Isabel.

O crime compensa – Léo Jaime (1985)
Se a impunidade é tão comum quanto o delito, Léo Jaime já cantava em 1985 que “O que é proibido é bem melhor”. E dizia: “O crime é a maior diversão / O crime compensa e recompensa / O quente é ser eleito sem ser votado / Trocar as etiquetas do supermercado”, em uma referência às eleições indiretas para a presidência da república e à inflação galopante que alterava o preço dos alimentos todos os dias.

Artigos Relacionados

10 casos em que o voto foi usado como forma de protesto

10 casos em que o voto foi usado como forma de protesto

Rinoceronte Cacareco A eleição do rinoceronte Cacareco é considerada o primeiro caso de voto de protesto no Brasil. O animal do Zoológico de São Paulo venceu as eleições para vereador de São Paulo em 1959. Irritado com os casos de corrupção que noticiava, um...

O que acontece se todo mundo votar nulo?

O que acontece se todo mundo votar nulo?

  Entre um dos argumentos dos que defendem o voto nulo está a afirmação de que, se mais de 50% dos eleitores anularem seu voto, a eleição é cancelada. Mas isso é verdade? A reposta é não, mas também pode ser sim: Se levarmos em conta o Código Eleitoral de 1965,...

62 Comentários

62 Comentários

  1. Anônimo

    Muito boa as referências. Eu colocaria Metal Contra as Nuvens da Legião Urbana também.

    Responder
  2. Anônimo

    Muito boa as referências. Eu colocaria Metal Contra as Nuvens da Legião Urbana também.

    Responder
  3. Anônimo

    Com certeza já dizia nossos artistas já previa tudo isso que a gente estamos vivendo ainda falta letras do baiana de edson Gomes

    Responder
  4. Anônimo

    Com certeza já dizia nossos artistas já previa tudo isso que a gente estamos vivendo ainda falta letras do baiana de edson Gomes

    Responder
  5. Ze maria

    Faltou RPM crime da mala

    Responder
  6. Ze maria

    Faltou RPM crime da mala

    Responder
  7. Roberto

    Você esqueceu da música “Balaio de gato e de rato” do Martinho da Vila.

    Responder
  8. Roberto

    Você esqueceu da música “Balaio de gato e de rato” do Martinho da Vila.

    Responder
  9. Augusto

    O GOVERNO DO PT DE LULA E DILMA…………..deixou 14 MILHÕES DE DESEMPREGADOS. o maior escandalo de corrupção da historia da humanidade, entre outros desastres.

    Responder
  10. Augusto

    O GOVERNO DO PT DE LULA E DILMA…………..deixou 14 MILHÕES DE DESEMPREGADOS. o maior escandalo de corrupção da historia da humanidade, entre outros desastres.

    Responder
  11. Adelson Ferreira

    Pois é não sei qual é o pior os bandidos políticos de Brasília os bandidos de rua ou a falta de caráter dos cantares atuais que só pensam em ganhar dinheiro com músicas chulas.Ta ai o verdadeiro protesto as bandas dos anos 80.Ja as músicas atuais e os políticos não se salva um falta nascer mas pode esperar disso a pior. hoje tudo lixo iguais os políticos.

    Responder
  12. Adelson Ferreira

    Pois é não sei qual é o pior os bandidos políticos de Brasília os bandidos de rua ou a falta de caráter dos cantares atuais que só pensam em ganhar dinheiro com músicas chulas.Ta ai o verdadeiro protesto as bandas dos anos 80.Ja as músicas atuais e os políticos não se salva um falta nascer mas pode esperar disso a pior. hoje tudo lixo iguais os políticos.

    Responder
  13. Anônimo

    A do Legião Urbana representa muito beem.

    Responder
  14. Anônimo

    A do Legião Urbana representa muito beem.

    Responder
  15. robson

    Tem uma boa tambem geraçao coca cola mostra como o povo e tomto e nao reague no pais indiguinaçao do skank maiores mentiras do brasil gabriel pensador

    Responder
  16. robson

    Tem uma boa tambem geraçao coca cola mostra como o povo e tomto e nao reague no pais indiguinaçao do skank maiores mentiras do brasil gabriel pensador

    Responder
  17. Maria Truccolo

    Minha opinião é que todo o povo brasileiro tem que ficar de olho no que os três poderes (assim mesmo, em minúsculas, os podres poderes) podem fazer com a Lava Jato. Na minha opinião é o povo brasileiro que tem que formular a reforma política, e não colocar raposas para cuidar do galinheiro. Temos que derrubar as reformas trabalhista e previdenciária, tirar força dos sindicatos, criar outros arranjos, e exigir a reforma política e a reforma tributária. É grana demais nas mãos dos três poderes, e é por isto que há tanta corrupção. Não há dinheiro público. Todo o dinheiro é gerado pela força do trabalho, então o dinheiro é privado, meu, seu, nosso, é nossa responsabilidade saber o que é feito dele. Não é possível que um político custe R$ 33 milhões ao ano para nós, que só veremos tal soma se vivermos muitas encarnações. Vergonha total. Política tem que ganhar salário mínimo, colocar a criançada na escola pública, usar somente o SUS, enquanto estiver exercendo seu mandado. É assim que tem que ser. Limpar geral, já.

    Responder
  18. Maria Truccolo

    Minha opinião é que todo o povo brasileiro tem que ficar de olho no que os três poderes (assim mesmo, em minúsculas, os podres poderes) podem fazer com a Lava Jato. Na minha opinião é o povo brasileiro que tem que formular a reforma política, e não colocar raposas para cuidar do galinheiro. Temos que derrubar as reformas trabalhista e previdenciária, tirar força dos sindicatos, criar outros arranjos, e exigir a reforma política e a reforma tributária. É grana demais nas mãos dos três poderes, e é por isto que há tanta corrupção. Não há dinheiro público. Todo o dinheiro é gerado pela força do trabalho, então o dinheiro é privado, meu, seu, nosso, é nossa responsabilidade saber o que é feito dele. Não é possível que um político custe R$ 33 milhões ao ano para nós, que só veremos tal soma se vivermos muitas encarnações. Vergonha total. Política tem que ganhar salário mínimo, colocar a criançada na escola pública, usar somente o SUS, enquanto estiver exercendo seu mandado. É assim que tem que ser. Limpar geral, já.

    Responder
  19. Saulo

    “Aluga-se” , como podem esquecer está na matéria..

    Responder
  20. Saulo

    “Aluga-se” , como podem esquecer está na matéria..

    Responder
  21. Mouna Moura

    Quem será que lembra – ou mesmo conhece – CORTINAS DE FERRO, de Paulinho Pedra Azul????????? ÑÃO SEI DE LETRA DE MÚSICA QUE MELHOR VISTA NÃO SOMENTE ESTE MOMENTO, MAS HÁ TEMPOS O BRASIL!!!!!!!!!!!!!! “E os mortos já falam mais… E os vivos não vivem mais…” Vá no Youtube.

    Responder
  22. Mouna Moura

    Quem será que lembra – ou mesmo conhece – CORTINAS DE FERRO, de Paulinho Pedra Azul????????? ÑÃO SEI DE LETRA DE MÚSICA QUE MELHOR VISTA NÃO SOMENTE ESTE MOMENTO, MAS HÁ TEMPOS O BRASIL!!!!!!!!!!!!!! “E os mortos já falam mais… E os vivos não vivem mais…” Vá no Youtube.

    Responder
  23. Samuel

    Imaginável. Um país que o povo cultua politico ladrão. Você incapaz de observar em sua volta e ver que o vizinho, seu amigo ou o patrão defende seus interesses e você ainda aplaude.

    Responder
  24. Samuel

    Imaginável. Um país que o povo cultua politico ladrão. Você incapaz de observar em sua volta e ver que o vizinho, seu amigo ou o patrão defende seus interesses e você ainda aplaude.

    Responder
  25. Edson Sousa

    Sabe àquela música passageira, que a gente tem ideia que já conhece e depois desaparece?
    Algumas contam um momento, outras, longas histórias, desde as Capitanias Hereditárias:
    O Grupo- AS MENINAS, trouxeram isso com sensualidade e até mesmo com ousadia:
    “Analisando. Essa cadeia hereditária. Quero me livrar
    Dessa situação precária…”
    “Onde o rico cada vez. Fica mais rico. E o pobre cada vez. Fica mais pobre”
    “E o motivo todo mundo. Já conhece. É que o de cima sobe. E o de baixo desce”
    “Mas eu só quero
    Educar meus filhos
    Tornar um cidadão
    Com muita dignidade
    Eu quero viver bem
    Quero me alimentar
    Com a grana que eu ganho
    Não dá nem prá melar.
    Quando estudamos História para a formação de professor, nossos mestres buscavam incentivar esta interação: música, livros de romancistas, propagandas, charges, etc. A música brasileiro das décadas 1980 a 1990 tiveram este momento, digamos de desabafo. Mas ao longa da historiografia das letras das músicas vemos estas nuances de longas datas. “Sem a música, a vida seria um erro.”Friedrich Nietzsche. Já Osvaldo Montenegro disse: “Quem não ouve a melodia acha maluco quem dança..”. Levei um tempo para concatenar esta cartada do Osvaldo no momento atual – no segmento musical, não sendo generalista, claro: Entendi o porque de músicas sem letras “aplaudíveis” fazem algumas galeras felizes,ora não basta simplesmente a letra, é necessário também melodia. Meu cães rottweiler adoram música,claro que não sabe o que se canta, mas sabem o que encanta. A letra das MENINAS parece um desafio a Gravidade. Porque sabemos que o que sobe sempre desce. Isto implica que, quem é rico, sabendo desta LEI lutará contra ela usando todos os meios, um deles mantendo o que está embaixo no lugar que ele quer. Competição gera desgaste, e nem sempre se pode ganhar, nem perder.

    Responder
  26. Edson Sousa

    Sabe àquela música passageira, que a gente tem ideia que já conhece e depois desaparece?
    Algumas contam um momento, outras, longas histórias, desde as Capitanias Hereditárias:
    O Grupo- AS MENINAS, trouxeram isso com sensualidade e até mesmo com ousadia:
    “Analisando. Essa cadeia hereditária. Quero me livrar
    Dessa situação precária…”
    “Onde o rico cada vez. Fica mais rico. E o pobre cada vez. Fica mais pobre”
    “E o motivo todo mundo. Já conhece. É que o de cima sobe. E o de baixo desce”
    “Mas eu só quero
    Educar meus filhos
    Tornar um cidadão
    Com muita dignidade
    Eu quero viver bem
    Quero me alimentar
    Com a grana que eu ganho
    Não dá nem prá melar.
    Quando estudamos História para a formação de professor, nossos mestres buscavam incentivar esta interação: música, livros de romancistas, propagandas, charges, etc. A música brasileiro das décadas 1980 a 1990 tiveram este momento, digamos de desabafo. Mas ao longa da historiografia das letras das músicas vemos estas nuances de longas datas. “Sem a música, a vida seria um erro.”Friedrich Nietzsche. Já Osvaldo Montenegro disse: “Quem não ouve a melodia acha maluco quem dança..”. Levei um tempo para concatenar esta cartada do Osvaldo no momento atual – no segmento musical, não sendo generalista, claro: Entendi o porque de músicas sem letras “aplaudíveis” fazem algumas galeras felizes,ora não basta simplesmente a letra, é necessário também melodia. Meu cães rottweiler adoram música,claro que não sabe o que se canta, mas sabem o que encanta. A letra das MENINAS parece um desafio a Gravidade. Porque sabemos que o que sobe sempre desce. Isto implica que, quem é rico, sabendo desta LEI lutará contra ela usando todos os meios, um deles mantendo o que está embaixo no lugar que ele quer. Competição gera desgaste, e nem sempre se pode ganhar, nem perder.

    Responder
  27. Célio

    A musica do renato russo e sem duvida eterna porém acho que inutil do ultraje reflete mais a realidade do povo brasileiro.

    Responder
  28. Célio

    A musica do renato russo e sem duvida eterna porém acho que inutil do ultraje reflete mais a realidade do povo brasileiro.

    Responder
  29. Edson Sousa

    Esqueci da correção ortográfica… Mas lembrando que AS MENINAS com a música “Xibom Bombom” de 1999. mas nossa vida continua muito amarga, salgada.

    Responder
  30. Edson Sousa

    Esqueci da correção ortográfica… Mas lembrando que AS MENINAS com a música “Xibom Bombom” de 1999. mas nossa vida continua muito amarga, salgada.

    Responder
  31. Rafael

    Não é a música antiga que justifica o atual momento, é o atual momento que torna a música antiga atual.

    Responder
  32. Rafael

    Não é a música antiga que justifica o atual momento, é o atual momento que torna a música antiga atual.

    Responder
  33. Airton Silva Nasscimento

    Na verdade a música que vejo com a realidade atual é: “Toda Forma de Poder” Engenheiros do Havaí.

    Responder
  34. Airton Silva Nasscimento

    Na verdade a música que vejo com a realidade atual é: “Toda Forma de Poder” Engenheiros do Havaí.

    Responder
  35. Anônimo

    Faltou citar a mais importante; AUTOR – GERALDO VANDRE´
    —PARA NAO DIZER QUE NAO FALEI DE FLORES !!!!!!

    Responder
  36. Anônimo

    Faltou citar a mais importante; AUTOR – GERALDO VANDRE´
    —PARA NAO DIZER QUE NAO FALEI DE FLORES !!!!!!

    Responder
  37. Ana Maria

    Tem também a do Gonzaguinha: É , a gente não tem cara de panaca,a gente nao tem jeito de babaca …

    Responder
  38. Ana Maria

    Tem também a do Gonzaguinha: É , a gente não tem cara de panaca,a gente nao tem jeito de babaca …

    Responder
  39. heleno

    Faltou:O Tempo Não Para,de Cazuza,Desordem,dos Titãs,Inútil,do Ultraje a Rigor.

    Responder
  40. heleno

    Faltou:O Tempo Não Para,de Cazuza,Desordem,dos Titãs,Inútil,do Ultraje a Rigor.

    Responder
  41. Flavia Sarto

    Vc esqueceu da Plebe Rude com até quando esperar. Atualissima

    Responder
  42. Flavia Sarto

    Vc esqueceu da Plebe Rude com até quando esperar. Atualissima

    Responder
  43. George

    E tem mais… faltou aí País do Futuro do Camisa de Vênus

    Responder
  44. George

    E tem mais… faltou aí País do Futuro do Camisa de Vênus

    Responder
  45. igor

    Faltou Capital Inicial – Autoridades

    Responder
  46. igor

    Faltou Capital Inicial – Autoridades

    Responder
  47. Diniz

    Só que essas letras metiam o pau na direita e enalteciam a esquerda, como aquela música do Legião dos “300 picaretas”. No fim, o país está nessa fossa justamente por causa do PT, endeusado na época.

    Responder
  48. Diniz

    Só que essas letras metiam o pau na direita e enalteciam a esquerda, como aquela música do Legião dos “300 picaretas”. No fim, o país está nessa fossa justamente por causa do PT, endeusado na época.

    Responder
  49. Anônimo

    Aluga.se raul seixas

    Responder
  50. Anônimo

    Aluga.se raul seixas

    Responder
  51. Cleiton

    A cada canto um grande conselheiro,
    Que nos quer governar a cabana, e vinha,
    Não sabem governar sua cozinha,
    E podem governar o mundo inteiro.
    Em cada porta um freqüentado olheiro,
    Que a vida do vizinho, e da vizinha
    Pesquisa, escuta, espreita, e esquadrinha,
    Para a levar à Praça, e ao Terreiro.
    Muitos Mulatos desavergonhados,
    Trazidos pelos pés os homens nobres,
    Posta nas palmas toda a picardia.
    Estupendas usuras nos mercados,
    Todos, os que não furtam, muito pobres,
    E eis aqui a capital BRASÍLIA.

    Responder
  52. Cleiton

    A cada canto um grande conselheiro,
    Que nos quer governar a cabana, e vinha,
    Não sabem governar sua cozinha,
    E podem governar o mundo inteiro.
    Em cada porta um freqüentado olheiro,
    Que a vida do vizinho, e da vizinha
    Pesquisa, escuta, espreita, e esquadrinha,
    Para a levar à Praça, e ao Terreiro.
    Muitos Mulatos desavergonhados,
    Trazidos pelos pés os homens nobres,
    Posta nas palmas toda a picardia.
    Estupendas usuras nos mercados,
    Todos, os que não furtam, muito pobres,
    E eis aqui a capital BRASÍLIA.

    Responder
  53. Edison Ardito

    Ze a gente não tem cara panaca a gente não tem jeito de babaca , a gente não está com a bunda exposta na janela pra passar a mão nela…… ABRAÇO

    Responder
  54. Edison Ardito

    Ze a gente não tem cara panaca a gente não tem jeito de babaca , a gente não está com a bunda exposta na janela pra passar a mão nela…… ABRAÇO

    Responder
  55. Alexandremonteiro

    Muito bem lembrado Parabens Marcelo duarte eu tb prefiro. Explodir com essas. Cançoes. Lindas e verdadeiras

    Responder
  56. Alexandremonteiro

    Muito bem lembrado Parabens Marcelo duarte eu tb prefiro. Explodir com essas. Cançoes. Lindas e verdadeiras

    Responder
  57. Maria Muniz

    sou bem da época em que a banda Legião Urbana cantava seus sucesso, então ouvia não só que Pais é este mas outras músicas que retratavam a situação do nossa pais e sonhava em um Brasil melhor!!! Comparando o Brasil de hoje com às musicas vejo que não mudou nada , só piorou !!!!

    Responder
  58. Maria Muniz

    sou bem da época em que a banda Legião Urbana cantava seus sucesso, então ouvia não só que Pais é este mas outras músicas que retratavam a situação do nossa pais e sonhava em um Brasil melhor!!! Comparando o Brasil de hoje com às musicas vejo que não mudou nada , só piorou !!!!

    Responder
  59. Vieira Alcione

    …Interessante, bem lembradas! …mas, ‘E DAÍ’? lembrar das músicas do passado e não fazer nada?! ..somos todos uns ‘bundamole’! quer saber mais? ninguém vai fazer nada!brasileiro só sabe fazer piada…. aliás somos a piada em sua essência!!! Certa vez, um Britânico, isso mesmo, com B maiúsculo, me disse: vocês são uma nação do ‘HA HA HA’!TUDO PRA VOCES É ENGRAÇADO! ATÉ MESMO A PIOR DESGRAÇA, É ENGRAÇADO! ha ha ha ha!!

    Responder
  60. Vieira Alcione

    …Interessante, bem lembradas! …mas, ‘E DAÍ’? lembrar das músicas do passado e não fazer nada?! ..somos todos uns ‘bundamole’! quer saber mais? ninguém vai fazer nada!brasileiro só sabe fazer piada…. aliás somos a piada em sua essência!!! Certa vez, um Britânico, isso mesmo, com B maiúsculo, me disse: vocês são uma nação do ‘HA HA HA’!TUDO PRA VOCES É ENGRAÇADO! ATÉ MESMO A PIOR DESGRAÇA, É ENGRAÇADO! ha ha ha ha!!

    Responder
  61. Anônimo

    Não tem essa de músicas antigas retratarem a atualidade…o q acontece é que NADA MUDOU DESDE MUITO TEMPO ATRÁS SÓ ISSO. SIMPLES.

    Responder
  62. Anônimo

    Não tem essa de músicas antigas retratarem a atualidade…o q acontece é que NADA MUDOU DESDE MUITO TEMPO ATRÁS SÓ ISSO. SIMPLES.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *