Criador do Cubo Mágico lança livro de memórias

17 de setembro de 2020
Acaba de ser lançado nos Estados Unidos  “Cubed – The Puzzle of Us All”, livro de memórias do professor de arquitetura húngaro Erno Rubik, que criou o famoso Cubo Mágico – e, por isso, também chamado Cubo de Rubik. Quando inventou o brinquedo, em 1974, Rubik não tinha certeza se ele tinha uma solução. Demorou um mês para chegar a ela. Os matemáticos calculariam depois 43.252.003.274.489.856.000 maneiras de organizar os quadrados, mas apenas uma dessas combinações está correta.

 

 

Rubik completou 76 anos em 13 de julho. Vive numa casa projetada por ele em Budapeste. Suas principais diversões são o tênis de mesa, a jardinagem (tem paixão por cactos) e os livros de ficção científica que enchem uma estante. Seus autores preferidos são o russo naturalizado americano Isaac Asimov (1920-1992) e o polonês Stanislaw Lem (1921-2006). Tem sempre por perto também um de seus cubos. Nas páginas iniciais de “Cubed”, ele revela que detesta escrever. Sempre foi avesso a publicidade e a entrevistas. “Não quis escrever uma biografia, porque não estou interessado em compartilhar minha vida”, escreveu Rubik. “O principal motivo pelo qual fiz um livro de memórias foi tentar entender o que aconteceu e por que aconteceu. Qual é a verdadeira natureza do cubo? ”

 

Inicialmente, Rubik não queria que o livro fosse dividido em capítulos ou que mesmo tivesse um título. O prefácio é ironicamente assinado pela própria criação. Ali, o brinquedo revela que prefere ser chamado de “Cubo Mágico” e que 1 bilhão de pessoas ao redor do mundo brincam ou já brincaram com ele.  A World Cube Association promove atualmente  cerca de 1.000 competições de speedcubing (quem resolve o cubo em menos tempo) a cada ano. O atual recorde mundial é do chinês Yusheng Du (3,47 segundos em 2018). Há também quem resolva o cubo dentro d’água, pulando de pára-quedas, com os dedos dos pés ou com os olhos vendados.

 

 

Depois de solucioná-lo, Rubik entrou com um pedido de registro no Escritório de Patentes da Hungria para um “brinquedo lógico tridimensional”. Um fabricante de jogos de xadrez e brinquedos de plástico produziu 5.000 cópias em 1977. No ano seguinte, o “Buvös Kocka” (ou Cubo Mágico) chegou inicialmente às lojas húngaras. Em “Cubed”, Rubik conta que, no primeiro dia de vendas, ele pegou o seu cubo e foi até um parque da cidade. Fala da emoção de ver um menino de 8 anos e uma mulher de 30 se entretendo com a novidade.  Dois anos depois, 300.000 cubos já tinham sido vendidos em seu país. Começou até a correr o boato que ele havia se tornado milionário.

 

Rubik conseguiu então um contrato com uma empresa americana, a Ideal Toy, que fez 1 milhão de cubos para vender no mundo inteiro. Calcula-se que hoje já tenham sido vendidos 350 milhões de Cubos de Rubik – sem falar em milhões e milhões de cópias não oficiais. Número que faz mesmo da invenção de Erno Rubik o quebra-cabeça de todos nós.

 

 

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *