Aconteceu esta tarde em São Paulo o 17º Lanchinho Playmobil. O encontro reuniu colecionadores de todo o Estado, que expuseram cenários e fizeram trocas e vendas. Os participantes também assistiram a workshops sobre montagem e desmontagem dos brinquedos e de como usar as ferramentas da internet para alimentar uma coleção de Playmobil.

PLAYMOBIL - Playmobil: um gigante de 7,5 centímetros

O fórum PlayBrasilMobil reúne atualmente 442 colecionadores dos bonequinhos. “É uma coisa de saudosismo mesmo”, afirma Alessandro Tamer, membro do fórum e um organizador do Lanchinho Playmobil, que acontece mensalmente. “Esses brinquedos fizeram parte da história de quem hoje tem entre 30 e 50 anos”

Em 1908, Georg Brandstätter herdou do pai, Andreas Brandstätter, uma fábrica de cadeados e metais em Fürth, na Alemanha. Ele deu a ela o nome de Metallwarenfabrik Georg Brandstätter. Em 1921, com a mudança da sede para Zindorf, a empresa passou a se chamar Geobra, usando as primeiras letras do nome do dono. Até a década de 1950, eles já tinham mudado a produção para brinquedos de metal, como caixas-registradoras e aparelhos de telefone. Foi a mania dos bambolês, no final da década, que fez com que o herdeiro da fábrica, Horst Brandstätter, neto de Georg, tentasse projetar uma máquina que moldasse plástico em formato circular.

Horst percebeu que, usando calor, pressão e moldes de plástico, poderia reproduzir praticamente qualquer formato. Foi assim que a empresa passou a fazer brinquedos de plástico.

No começo da década de 1970, com a crise do petróleo, toda a indústria de plástico precisou se reinventar. O alto custo do plástico obrigou as empresas a imaginarem brinquedos menores. Horst Brandstätter e Hans Beck, pesquisador da empresa, se voltaram a um novo projeto, iniciado em 1971: pequenos bonecos articulados com acessórios à parte. Em 1974, o Playmobil foi apresentado ao público e se tornou rapidamente um sucesso de vendas.

A moda foi tão grande que, um ano depois, a Geobra executou um plano de expansão mundial que incluía o Brasil. Em 1976, os bonecos de 7,5 centímetros de altura começaram a ser fabricados no país pela Trol. A empresa era de propriedade de Dílson Funaro, ministro da Fazenda do governo Sarney, e fazia autoramas e bonecas.

Veja uma propaganda do Playmobil daquela época:

Com a morte de Funaro, em 1989, a Trol encerrou suas atividades e a Estrela fabricou os bonecos alemães até 1999. Somente em agosto de 2005, a empresa catarinense Calesita voltou a distribuir o Playmobil no mercado nacional. Os produtos eram importados da Argentina. Desde 2008, a marca passou a ser importada pela Sunny Brinquedos, que traz os bonequinhos diretamente da Alemanha. Apesar de ter ficado ausente do mercado por algum tempo na década de 2000, o Playmobil nunca foi esquecido por seus fãs brasileiros.

 

Os bonecos são um sucesso no mundo inteiro e têm até mesmo cinco parques de diversão dedicados a eles, os FunParks, em Malta, França, Grécia, Estados Unidos e Alemanha. Eles têm áreas temáticas como fazenda, acampamento indígena, castelo medieval e barco pirata, além de bonecos Playmobil com 1,60 metro de altura.