Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

O “candigato Morris” e outros bichos que disputaram eleições

14 de junho de 2013

Um novo meme está se espalhando na rede. Trata-se do “Candigato Morris”, um gato que supostamente concorre à prefeitura da cidade mexicana de Xalapa. Em um sinal de descrença, frustração e falta de confiança nos candidatos oficiais, dois jovens criaram o personagem Morris, que foi logo adotado como candidato do povo. Morris é bastante irônico. Seu slogan é “Por uma Xalapa sem ratos”, uma referência aos políticos e policiais corruptos da região. Ele promete fazer aquilo que todo bom político faz: dormir e esperar o tempo passar. E diz que seu diferencial é limpar sua própria bagunça, o que muitos políticos por aí se esquecem de fazer… O que é mais curioso é que o gato Morris tem mais seguidores em sua página no Facebook do que três dos quatro principais candidatos reais. As eleições acontecem no dia 7 de julho.

Morris não é o primeiro animal a se candidatar a cargos políticos. Relembre outros bichos que também fizeram campanha eleitoral ao longo da história:

Senhor Burro

Nas eleições do ano passado, um grupo de pelo menos 40 pessoas tentou emplacar a candidatura de um burro (o Senhor Burro) como vereador na cidade de Guayaquil, no Equador. Senhor Burro desfilou pelas ruas usando uma gravata no pescoço, mas de nada adiantou: sua candidatura foi oficialmente negada. O objetivo dos idealizadores do projeto era chamar a atenção dos eleitores quanto à importância do processo eleitoral.

Stubbs

Antes de Morris concorrer à prefeitura de Xalapa, um gato já havia assumido o cargo em uma vila no Alasca (Estados Unidos). Stubbs foi empossado prefeito honorário de Talkeetna 16 anos atrás, quando era apenas um filhote. Abandonado numa caixa de papelão junto ao restante da ninhada, Stubbs, que não tem as vértebras do rabo, foi adotado por Lauri Stec, gerente da loja Nagley’s. Nas eleições daquele ano, a população estava insatisfeita com todos os candidatos a prefeito. Lauri então propôs que o povo escrevesse “Stubbs” na cédula eleitoral, como forma de protesto. O gato, que teve a maioria dos votos da comunidade, ganhou um espaço simbólico na gestão da vila. Seu cargo de prefeito honorário é vitalício.

Satchel e Mae Poulet

Satchel, um cachorro da raça Bull Terrier, concorreu ao cargo de presidente dos Estados Unidos nas últimas eleições realizadas no país, no ano passado. A primeira-dama? Uma galinha chamada Mae Poulet. Quem esteve por trás da candidatura foi Charlotte Laws, advogada especializada em direitos dos animais. A intenção dela foi alertar a população quanto à pouca atenção dada pelo governo norte-americano à proteção dos animais. O casal animal também protestava contra a atitude de Barack Obama em comprar um cão de raça em vez de adotar um vira-lata abandonado.

Hank

No mesmo ano, um gatinho concorreu ao cargo de Senador pelo estado da Virgínia, também nos Estados Unidos. Hank acabou em 3º lugar e conseguiu levantar 60 mil dólares para abrigos de animais abandonados. A campanha começou como uma brincadeira. Matthew O’Leary, dono de Hank, decidiu lançar a candidatura de seu gato quando cansou de ver os mesmos rostos dos outdoors de propaganda eleitoral.

Cacareco

O Brasil também já teve seus representantes animais nas eleições. Em 1959, o rinoceronte Cacareco foi “eleito” vereador de São Paulo com nada menos  que 100 mil votos. Foi uma maneira de o povo protestar contra a política do então governador Adhemar de Barros. Cacareco era o assunto do momento: tinha sido emprestado pelos cariocas para a inauguração do Zoológico de São Paulo havia seis meses. A candidatura foi uma brincadeira do jornalista Itaboraí Martins. Ele ironizava outras reais candidaturas que, de tão tolas, pareciam de mentira. O slogan de um deles, que pesava 230 kg, dizia: “Vale quanto pesa”. Na época, ainda era usado o sistema de cédulas, em que os eleitores recebiam um envelope vazio e dentro dele depositavam a cédula de seu candidato. Apesar de ter recebido a maior votação, o rinoceronte nem conseguiu comemorar – ele tinha sido devolvido ao Zoológico do Rio de Janeiro dois dias antes. Por sinal, Cacareco, apesar do nome, era uma fêmea. Curioso, não?

Leia também: A chegada do rinoceronte Cacareco a São Paulo virou marchinha de Carnaval

Macaco Tião

Em 1988, o Macaco Tião lançou sua candidatura a prefeito do Rio de Janeiro. Foi também um ato de protesto do eleitor carioca. Quem teve a ideia foi a turma do programa humorístico Casseta & Planeta, da Rede Globo. O macaco conseguiu impressionantes 400 mil votos, ficando em 3º lugar entre os 12 candidatos concorrentes. Tião entrou até para o Livro dos Recordes como o chimpanzé mais votado na história, mas perdeu o título por sua candidatura não ter sido reconhecida pelo Tribunal Regional Eleitoral.

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Pterossauro ganha nome em homenagem à Mulher-Maravilha

Pterossauro ganha nome em homenagem à Mulher-Maravilha

O paleontólogo e paleoartista Ariel Milani Martine apresenta a mais nova descoberta na área: o kariridraco dinae, o pterossauro que viveu há 100 milhões de anos na Chapada do Araripe, no Nordeste braslleiro. "Kariri" é uma referência à etnia indígena da região....

Como os cachorros se comunicam entre si

Como os cachorros se comunicam entre si

A exemplo dos lobos, os cachorros, que são seus descendentes, também se comunicam pela voz. Eles não conseguem uivar, mas latem. Cada latido tem um significado diferente. Existem latidos específicos para medo, raiva, fome, paquera e muito mais. Outra maneira muito...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This