10 aves curiosas

24 de abril de 2019

1. O albatroz passa a maior parte do tempo voando. Percorre milhares de quilômetros, durante meses, sem avistar terra. Desse modo, dorme em pleno voo, sustentado pelo vento do oceano. 

2. Por uma curiosidade natural, o avestruz pode engolir um objeto brilhante. Mas essa voracidade sai caro: a ave quase sempre morre depois disso.

3. O beija-flor é a menor ave da natureza. Seus ovos não são maiores que uma ervilha de tamanho médio. Os filhotes, logo que nascem, são menores que um gafanhoto comum e uma ninhada cabe dentro de uma colher de chá. Seu coração bate mil vezes por minuto, enquanto o de uma baleia-azul e o de um elefante chegam a bater 25 vezes no mesmo período. Por causa de seu metabolismo acelerado, eles se alimentam durante o dia inteiro: chegam a ingerir uma quantidade de néctar 8 vezes mais pesada que seu próprio corpo. Um ser humano teria de comer 400 hambúrgueres por dia para igualar a façanha. Isso tudo porque eles precisam de muita energia para voar. Suas asas batem 200 vezes por segundo, o que permite que eles fiquem parados no ar e façam manobras de ré e cambalhotas.

4. As corujas dormem de dia porque são nictalopes, ou seja, seus olhos não enxergam direito com muita luz. Quando a noite chega, elas saem para caçar e enxergam melhor que nós em pleno dia.

5. Quando avista uma presa, o falcão se lança num voo tão rápido que chega a atingir uma velocidade de 350 quilômetros por hora.

6. O flamingo mede 1,30 metro e dorme em pé. Se ele se deitasse, não conseguiria mais levantar, porque suas patas são longas demais.

7. Provavelmente trouxeram o pardal de Portugal em 1908, pois nessa época havia uma epidemia de febre amarela no Brasil. Acreditava-se que essas aves comeriam os mosquitos transmissores da doença. Ainda não se sabia que eles comem apenas grãos e sementes. O pássaro se adaptou às cidades porque era onde havia mais comida.

8. Extremamente inteligentes, os corvos caçam em grupo, comunicam-se intensamente, mantêm uma complexa estrutura familiar e social e são capazes inclusive de fazer ferramentas.

9. O pica-pau é capaz de dar 100 bicadas por minuto numa árvore e a velocidade do impacto alcança até 21 quilômetros por hora. Ele coloca a língua no buraco aberto para apanhar larvas de insetos embaixo da casca da árvore. Como sua audição é muito apurada, na maior parte das vezes localiza as larvas pelo som, furando a árvore no ponto certo. 

10. O pombo-correio pode voar 800 quilômetros num único dia e alcança velocidades entre 60 e 70 quilômetros por hora. Durante as guerras, os pombos-correios eram levados até um país inimigo. Ao serem soltos com uma mensagem, voltavam para seu país de origem. Isso acontece pois esses animais possuem um material magnético nos bicos, por isso sempre conseguem achar o caminho de casa. O bico funciona como uma bússola.

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

João-bobo, a ave que brinca de estátua

João-bobo, a ave que brinca de estátua

Por que essa ave é conhecida como joão-bobo? O biólogo Guilherme Domenichelli explica: o nome popular surgiu por causa de sua principal característica: quando ele se sente ameaçado, permanece imóvel, sem se mexer. Quando é capturado por um predador, ele finge-se de...

A galinha precisa do galo para botar ovos?

A galinha precisa do galo para botar ovos?

Não. A galinha já nasce com um estoque de óvulos que, ao longo da vida, se desenvolvem e se transformam em ovos. O macho só é essencial para a fecundação. Sem a presença dele, a galinha fica menos estressada e aumenta sua capacidade de produção de ovos. É por isso que...

10 curiosidades sobre pinguins

10 curiosidades sobre pinguins

São 18 as espécies de pinguim no mundo. Treze delas tiveram suas populações reduzidas, e as outras cinco são consideradas em perigo de extinção. 2. O pinguim de magalhães, que costuma aparecer no litoral do Brasil, vive na Argentina e no Chile. Às vezes, ele nada à...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This