melhores hambúrgueres dos Estados UnidosDono da pequena hamburgueria St. Louis (Rua dos Batatais, 242), uma das melhores de São Paulo, o chef paulistano Luiz Cintra resolveu comemorar os 30 anos de casamento com um roteiro de dar água na boca. Ao longo de 12 dias, Luiz e a mulher, Dulce, visitaram quatro Estados, cinco cidades e sete lanchonetes dos Estados Unidos em busca do hambúrguer perfeito. Os estabelecimentos hamburgueiros foram escolhidos a dedo: eles figuram em todas as listas de melhores hambúrgueres americanos. O saldo? Três quilos a mais e um verdadeiro guia de hambúrgueres da Terra do Tio Sam. Até um novo hambúrguer, o “Pepper Crust”, que entrou no cardápio do St. Louis esta semana, foi inspirado no cardápio do The Grind, em Phoenix, no Arizona. Confira:

Burguer Joint  (Nova York)

Instalado no meio de um hotel cinco estrelas em Manhattan, o Burger Joint limita-se a fazer só um bom tipo de sanduíche: o hambúrguer americano clássico, com carne, queijo, alface, tomate, cebola e picles. Mas o que realmente chamou a atenção de Luiz foi o ambiente simples, em contraste com o luxo do hotel: “Você entra por trás de uma cortina de pano e parece que entrou em um boteco da 25 de março bem no meio do hotel”, brinca.

The Stoned Crown (Nova York)

Localizado em uma rua escondida da badalação nova-iorquina e com ares de inferninho underground, o cardápio do Stoned Crown tem cinco tipos de sanduíche e nenhum turista sentado em suas mesas. “É um lugar bem exclusivo”, conta Luiz. “Até por isso é bem mais autêntico e americanizado”.

Shake Shack (Nova York e Miami)

Para experimentar o hambúrguer da rede Shake Shack, Luiz e Dulce enfrentaram uma hora de espera em uma fila no Madison Square Park. O modelo da lanchonete é semelhante ao de uma rede de fast-food: o cliente pede o lanche no balcão do quiosque e come nas mesinhas instaladas em volta – o hambúrguer, entretanto, é tão bom quanto qualquer outro hambúrguer artesanal. “É o que há de mais moderno em termos de fast-food nos EUA”, opina Luis.

Le Tub (Hollywood-FL)

Classificado por Luiz como dono do melhor hambúrguer da viagem, o charme do Le Tub fica por conta do clima de cais do porto, reforçado pela presença das mesinhas em cima das tábuas corridas sobre o canal. Aberto desde 1974, o Le Tub possui sanduíches suculentos e ambiente despojado – tão despojado que até o garçom que atendeu o casal estava, digamos, com o teor alcoólico um pouco elevado.

The Grind (Phoenix)

Foi diretamente do cardápio do The Grind que saiu a inspiração para o mais novo sanduíche do St. Louis. O hambúrguer com molho de mel e wasabi, pimenta do reino, queijo e muita batata palha encantou Luis, que estreou esta semana no St. Louis sua própria versão do sanduba.

Tobacco Road (Miami)

Afastado, enfumaçado e esquisito – este era o clima do Tobacco Road, localizado em Miami. “Um sujeito de boné na entrada me aconselhou a não parar o carro na rua”. Por precaução, o carro foi deixado em um estacionamento próximo – aí o caminho estava livre para experimentar o hamburguer (“um espetáculo”, classificou Luiz) ao som de bandas ao vivo.

Five Guys (Atlanta e Miami)

Aberto em 1986, o Five Guys cobra o preço único de 6 dólares. O freguês escolhe apenas se quer hamburguer, cheeseburguer ou cheeseburguer bacon – a adição de maionese, picles, cebola, tomate, cogumelos, alface ou pimenta sai de graça.

Veja mais na entrevista de Luiz Cintra no “Olá, Curiosos!” de 29/05/2021.

Leia também:
Quem inventou o hambúrguer?
Livro conta como os Estados Unidos inventaram o hambúrguer moderno