O vírus de computador nasceu em 1982. O primeiro deles se chamou Elk Cloner, que atacava computadores Apple II com DOS. Um disquete infectado mostrava um poema a cada 50 vezes que era utilizado. O criador foi Rick Skrenta, de Pittsburg (EUA), aos 15 anos. Ele fez isso para pregar uma peça em alguns amigos que copiavam seus jogos de computador.

Em 1987, foi criado o vírus Jerusalem, que infectava computadores com DOS através de arquivos executáveis abertos. A cada sexta-feira 13, todos os executáveis eram destruídos.

O Michelangelo surgiu em 1991. No dia 6 de março do ano seguinte, apagou todos os dados do disco rígido dos computadores que haviam sido infectados.

Criado por David Smith em 1999, o vírus Melissa se reenvia aos 50 primeiros endereços de e-mail do usuário infectado. O resultado é a sobrecarga de servidores. O FBI descobriu a façanha e prendeu Smith.

Em 2000, apareceu o ILOVEYOU. Chegava por e-mail, e parecia ser uma carta de amor. O prejuízo total foi de 5,5 bilhões de dólares.

Outro vírus de transmissão por email foi o Mydoom, surgido em janeiro de 2004. O vírus abre um “backdoor” para controle remoto do computador e ataca o site da empresa SGO.

Em maio de 2004, apareceu o Sasser, que chega por uma porta de rede vulnerável. Criado por Sven Jaschen, atinge os sistemas de algumas empresas.

Em 2006, um vírus começou a se espalhar pelos perfis dos usuários do MySpace. O internauta era infectado ao assistir algum vídeo com o vírus, e automaticamente o perfil passa a conter o mesmo vídeo e links para sites fraudulentos.