caixa preta

  • O primeiro protótipo da caixa-preta foi inventado em 1957, pelo cientista austríaco David Warren. Depois de uma série de acidentes aéreos em seu país, ele pensou em um aparelho que registrasse os acontecimentos na cabine da aeronave.
  • A caixa-preta é laranja. Essa medida é tomada para tornar sua localização mais fácil depois de um eventual acidente.
  • Ela recebeu esse nome dos pilotos da Força Aérea britânica, na Segunda Guerra Mundial. Eles chamavam de “caixa preta” qualquer artefato inovador que era instalado em seus aviões, referindo-se ao fato de não saberem exatamente o que esperar.
  • O teste de qualidade de uma caixa-preta é feito da seguinte maneira: ela é colocada em um canhão e disparada contra uma parede de concreto. Ao final do impacto, tudo deve estar inteiro.
  • Quando foi criada, fitas magnéticas eram as responsáveis pelas gravações. Hoje, elas são feitas por placas de computador.
  • São feitas de materiais muito resistentes como titânio e aço inoxidável
  • A caixa-preta é capaz de suportar uma aceleração de 33km/s², impactos que equivalem a 3.400 vezes a gravidade da Terra, temperatura de até 1.100ºC por até uma hora e pressão aquática em profundidades de até 6 mil metros.
  • As normas de segurança internacionais exigem que a caixa-preta tenha 88 conjuntos de dados gravados para análise. As mais modernas podem gravar mais de 300.
  • É composta por dois itens: o CVR(Cockpit Voice Recorder), responsável pelas gravações de voz na cabine e o FDR (Flight Data Recorder) que grava os dados técnicos.
  • Está instalada na cauda do avião