Joãosinho Trinta
O carnavalesco teve seu primeiro conflito com a Igreja Católica em 1989. A Arquidiocese proibiu a presença de uma reprodução do Cristo Redentor em um dos carros que comporia o desfile da Beija-Flor. Os religiosos acharam uma afronta a imagem sagrada fazer parte de um ritual pagão. A alegoria entrou na passarela mesmo assim, coberta por um plástico preto e com uma faixa dizendo: “Mesmo proibido, olhai por nós”.

Em 2004, houve nova polêmica envolvendo o carnavalesco. O samba-enredo da Grande Rio, “Vamos vestir a camisinha, meu amor”, já havia sido considerado ofensivo pela Igreja. Joãosinho atiçou o conflito criando para o desfile uma série de alegorias consideradas pornográficas.

A Igreja e o Ministério Público conseguiram que três carros fossem proibidos. A exemplo do desfile da Beija-Flor, eles cruzaram a avenida com um pano escuro e uma placa escrito censurado. No final do Carnaval, a escola de samba demitiu Joãosinho.

Je Vous Salue, Marie (1985)
O filme do cineasta Jean Luc Godard chocou os religiosos de todo o mundo ao mostrar Maria, mãe de Jesus, sem roupa. Por isso, países de forte tradição católica acabaram por proibir a exibição do longa. No Brasil, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) chegou a realizar uma campanha contra a obra de Godard. O governo cedeu à pressão e censurou sua exibição.

A Última Tentação de Cristo (1988)
A narrativa, levada aos cinemas pelo norte-americano Martin Scorcese, retrata como seria a vida de Cristo caso ele escolhesse ser um homem comum, com esposa, família e até fantasias sexuais. No México, país de forte tradição católica, o filme não pôde ser veiculado nos cinemas de 1988 a 2004. Um canal de televisão na Bulgária teve que cancelar sua exibição em 2002 porque a Igreja Ortodoxa do país conseguiu uma ordem de proibição. O ex-prefeito de São Paulo, Jânio Quadros, usou recursos administrativos para interditar as salas que estavam com o filme em cartaz. As ações contaram com o apoio de setores religiosos.

Jesus Cristo Superstar (1973)
Diversos grupos religiosos em diferentes países fizeram protestos contra o filme, que consistia em uma adaptação de um musical da Broadway. O ponto principal da polêmica era o fato de o enredo mostrar Cristo como um ser humano falível. Isso não impediu, porém, que o longa se tornasse um sucesso de bilheteria.

Madonna
A material girl comprou várias brigas com a Igreja. A mais notória ocorreu na década de 1980. A Pepsi convidou a cantora para ser a estrela de uma nova campanha e, em troca, lhe ofereceu o patrocínio da turnê do recém-lançado álbum “Like a Prayer”. Mas o clipe da canção título, em que Madonnaaparece beijando um santo negro, ofendeu os bispos católicos, que começaram a incitar um boicote à fábrica de refrigerantes. Em contrapartida, a Pepsi cancelou o apoio financeiro e tirou do ar a propaganda com a artista.