A mais antiga competição musical do mundo foi criada em 1956, seguindo os moldes do Festival de Sanremo, na Itália, que apareceu cinco anos antes. A primeira edição aconteceu em Lugano, na Suíça, em 24 de maio de 1957 e teve apenas sete nações participantes. O nome era inicialmente Eurovision Grand Prix. A cantora suíça Lys Assia foi a vencedora. O Eurovision é uma espécie de “Eurocopa” da música – embora Marrocos já tenha competido e a Austrália participa desde 2015.
O filme “Festival Eurovision da Canção: a Saga de Sigrit e Lars”, da Netflix (2020), com Will Ferrell, Rachel McAdams e Pierce Brosnan, faz uma sátira e, ao mesmo tempo, uma declaração de amor à competição e serviu de pauta para essa entrevista com Antônio Mier, criador do canal “Caçadores da Música Perdida”.
O filme "Festival Eurovision da Canção: a Saga de Sigrit e Lars"
Sigrit e Lars formam um casal islandês que vai ao festival com o objetivo de não vencer. Segundo as regras da competição, o país vencedor deve sediar o evento no ano seguinte. Na trama do filme, a Islândia não queria correr o risco de bancar o concurso. O quarteto sueco ABBA venceu o Eurovision em 1974 e estourou para a fama.