59 a.c.
O primeiro órgão regular a divulgar notícias, a gazeta romana Acta Diurna, começou a ser publicada. Criado pelo imperador Júlio César, era afixada por toda a cidade e trazia notícias gerais sobre política e a vida social da comunidade.

105 d.C.
O oficial da corte T’sai Lun anunciou ao imperador da China a invenção do papel. Tratava-se de um material preparado sobre uma tela de pano esticada por uma armação de bambu. Nessa superfície, vertia-se uma mistura aquosa de fibras maceradas de redes de pescar e cascas de árvore.

618-907 d.C.
Durante a Dinastia Tang, os chineses inventaram um sistema para “imprimir” um boletim informativo (tipao) que produziam para os oficiais da corte. Eles passaram a talhar blocos de madeira.

1438
O ourives alemão Gutenberg inventou a prensa ao fundir tipos móveis de chumbo. A máquina permitia que fossem compostos textos e levados para imprimir.

1566
Começaram a ser distribuídos na Europa um tipo de jornal escrito a mão chamado “avisi” ou “gazettes”.

1605
Entrou em circulação o jornal holandês “Nieuwe Tijdinghen”, o primeiro com a forma das publicações atuais. Ele era preparado por mercadores da Antuérpia e de Veneza.

1663
Foi lançada a primeira revista da história, a alemã “Erbauliche Monaths-Unterredungen” (“Discussões Mensais Edificantes”).

1702
Surgiu em Londres (Inglaterra) o primeiro jornal de circulação diária, o “Daily Courant”.

1791
Foi criado o jornal inglês “The Observer”, o mais antigo com edição dominical ainda em atividade.

1798
O tcheco Aloysius Senefelder criou a impressão litográfica. O sistema distinguia a área a ser impressa da vazia por meio de um processo químico.

1808
O “Correio Braziliense” tornou-se o primeiro jornal brasileiro. Produzido em Londres, era distribuído clandestinamente. O primeiro jornal impresso no país, a “Gazeta do Rio”, também saiu nesse ano. Tratava-se de um semanário de quatro páginas feito na Imprensa Régia (oficina tipográfica oficial criada pela corte real portuguesa).

1823
Foi criada a primeira Lei de Imprensa no Brasil. O documento punia a veiculação de material contra a Igreja Católica ou a moral cristã, de incitação à rebelião, de incentivo à desobediência civil e de injúria aos poderes constituídos e aos cidadãos.

1845
O francês Jacob Worms inventou a primeira máquina rotativa. Ela possibilita que a impressora seja alimentada com rolos contínuos de papel.

Leia também: Por que Gutenberg é chamado de “pai da imprensa”