“Dara, eu te amo!” Esta simples frase tornou-se o bordão mais conhecido do Cigano Igor, personagem da novela Explode Coração, exibida pela Rede Globo entre 1995 e 1996. Era o primeiro folhetim de Ricardo Macchi, que recebeu uma saraivada de críticas por sua atuação como o cigano que atrapalha o romance do casal Júlio (Edson Celulari) e Dara (Teresa Seiblitz). Depois, Macchi passaria também pela Casa dos Artistas, no SBT, e pela Record. Certa vez, diante de tantos gracejos, o ator postou em seu Facebook que não se importava em ser ridicularizado como o “eterno Cigano Igor”, pois tinha orgulho do papel.

Pois agora quem tira sarro de Macchi é o próprio Macchi. Estima-se que Macchi tenha recebido 400 mil reais para deixar de lado o rancor pelas críticas e estrelar ao lado do americano Dustin Hoffman o comercial do modelo Cinquecento, da Fiat .  Ele, que tem 1,90 metro de altura, atua propositalmente mal no vídeo; enquanto o baixinho Hoffman, com 1,65 metro, ensina que tamanho não é documento – pelo menos na hora de atuar.

Pode parecer depreciativo, mas ficaram comuns comerciais com famosos aceitando como piadas as críticas feitas a seu trabalho. A voz fina de Byafra (que protagonizou outro vídeo engraçado na internet em 2009) estrelou um comercial da Bradesco Seguros que mostra um ladrão invadindo um carro. Quando o larápio anda com o veículo, o cantor solta seus agudos em Sonho de Ícaro até o bandido se irritar e fugir, abandonando o automóvel.  Em entrevista a um portal de internet, Byafra disse que nunca teve um carro roubado, mas que não cantaria para espantar ladrões.

Outro cantor que teve que pagar mico para faturar um bom cachê foi o cantor Beto Barbosa, o “Rei da Lambada”. Ele estrelou as propagandas da Skol Litrão e da Skol Cincão fazendo o papel de  “cantor queima-filme”.  A marca de cerveja até fez uma promoção que dava um churrasco com a presença do artista. Para concorrer, os candidatos tinham que mandar fotos com sugestões de figurino queima-filme para um churrasco. Nunca se viu tanta pochete junta!

Maradona ou Pelé? Ah, que pergunta mais ultrapassada… A Coca-Cola resolveu promover uma disputa diferente, pedindo que os consumidores escolhessem o melhor entre Maradona e Biro-Biro, ex-jogador do Corinthians. Enquanto Maradona dribla os rivais, Biro-Biro aparece derrubando todos com um carrinho para chegar à bola: ele ganhou a votação por um voto, de acordo com um comercial posterior. Mais recentemente, um comercial da Volkswagen satiriza Túlio Maravilha, ex-integrante do elenco do Botafogo e do Corinthians. O jogador tem feito de tudo para alcançar a marca dos 1 000 gols. Ainda na casa dos 970, ele tem jogado em clubes sem qualquer expressão, como o Canedense e o Leão de São Marcos. Atualmente está no Bonsucesso, do Rio de Janeiro. Pois a fabricante de carros alemã está ajudando Túlio nessa empreitada:

Só não vá tentar você fazer essas mesmas piadas na frente deles…