Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

As mordidas no esporte: Suárez não foi o primeiro nem o mais punido

27 de junho de 2014

Na partida entre Uruguai e Itália, realizada no dia 24 de junho pela primeira fase da Copa 2014, Suárez teve tanta fome pela bola que sobrou para o zagueiro italiano Chiellini. As atenções dos espectadores do torneio saíram dos gramados e voltaram-se para a polêmica: foi a terceira vez que o jogador uruguaio mordeu um adversário em campo. A mordida humana tem uma força de 55 quilos. Nem se compara à do aligátor do Mississípi, com 965 quilos, mas é a mais forte entre os primatas. Macacos me mordam – mas que não seja o Suárez!  O uruguaio, porém, não é o único atleta que já apelou para as mordidas. O Blog do Curioso reuniu outros casos semelhantes que aconteceram ao longo da história. Confira:

article-2312979-196D9253000005DC-574_634x334

Montagem que circula na internet: Luis Suárez usando um colar protetor

A dentada mais famosa protagonizada por um atleta brasileiro aconteceu na final da Copa Libertadores de 2012. O Corinthians, após empatar em 1 x 1 no estádio La Bombonera, jogava para ganhar o título continental no Pacaembu, contra o Boca Juniors. No final do jogo, após já ter feito dois gols, Emerson Sheik mordeu o dedinho da mão esquerda do argentino Matias Caruzzo. Sheik, em entrevista ao Blog do Curioso, contou: “Ele me xingou diversas vezes. O Caruzzo foi muito azarado. Se você olhar o lance, o dedo dele caiu na minha boca. Não tive dúvidas, só tive o trabalho de fechar os dentes”. O craque daquela partida comparou seu caso ao de Suárez: “Eu acho que a minha foi pior. Meus dentes ficaram moles de tão forte que mordi.”

O ex-jogador do Corinthians não recebeu punição pelo seu ato, diferentemente do jogador sul-africano de rúgbi Johan Le Roux, que em 1995 mordeu Sean Fitzpatrick, do All Blacks, a seleção neozelandesa. O atleta foi punido por 18 meses e deu, à época, uma declaração polêmica: “Por uma punição dessas, eu deveria ter arrancado. Pelo menos eu poderia voltar pra casa com a orelha dele.”

Apesar de Le Roux querer a orelha de Saintpatrick, ela incrivelmente ficou

Orelha mordida de Fitzpatrick

Se o jogador de rúgbi não arrancou a orelha do companheiro, Mike Tyson, na mais conhecida mordida de orelha da história, tirou um pedaço do ouvido de Evander Holyfield, em 1997. O lutador foi desclassificado da luta e perdeu sua licença como boxeador – depois recuperada, diferentemente da orelha de Holyfield.

Em 1996, para indignação dos fãs de esporte, ocorreu uma mordida que não foi punida. O jogador de futebol americano Robert Baker, da Universidade de Auburn, marcou um touchdown e foi comemorar, mesmo jogando fora de casa. Uga V, da Universidade de Georgia, não deixou barato, atacando-o com uma dentada.

Não é só a raiva que motiva as mordidas no esporte. Um curioso caso aconteceu numa partida entre Sevilla e Valladolid, em 2001. José Antonio Reyes, do time andaluz, marcou um gol. Francisco Gallardo, empolgado com o tento de sua equipe, foi comemorar junto ao companheiro e lhe deu uma carinhosa mordida nas partes baixas. A Federação Espanhola puniu o atleta por ter infringido a “dignidade e o decoro esportivo”.

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

A Rádio ONCB e as Paraolimpíadas de Tóquio 2020

A Rádio ONCB e as Paraolimpíadas de Tóquio 2020

Os Jogos Paraolímpicos de Tóquio começam na próxima terça-feira, dia 24. Marcus Aurélio Carvalho, diretor e apresentador da Rádio ONCB, emissora web da Organização Nacional de Cegos do Brasil, explica como será a cobertura diferenciada do evento. Marcus fala também de...

O autor de 150 hinos de times de futebol

O autor de 150 hinos de times de futebol

O compositor paulista Carlos Santorelli tem mais de 2 mil músicas gravadas. Em 1997, ele lançou um CD com hinos para os principais times do Rio Grande do Norte compostos por ele. Depois, em 2011, veio outro, desta vez com times paraibanos. Mas foi a partir de 2017 que...

Pugilista perdeu a orelha e não consegue usar máscara?

Pugilista perdeu a orelha e não consegue usar máscara?

Em novembro de 1996, o pugilista Evander Holyfield, pentacampeão mundial dos pesos-pesados, desafiou Mike Tyson pelo título da Associação Mundial de Boxe. Holyfield venceu de forma surpreendente ao realizar a proeza de nocautear Tyson no 11º round. Em junho do ano...

1 Comentários

1 Comentário

  1. sapekinha do agreste

    esse luis soarez e muito feio!mizericordia

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This