Ángel Romero, 22 anos, foi contratado em junho deste ano pelo Corinthians. Em poucas partidas, o atacante paraguaio caiu nas graças da torcida. A imprensa tratou logo de lembrar que Ángel tinha um irmão gêmeo, Óscar, que foi seu companheiro de Cerro Porteño entre 2008 a 2013 (Óscar foi emprestado ao Baniyas, dos Emirados Árabes). Em 5 de agosto, o Corinthians fechou a contratação de Óscar, que chegará ao clube apenas em janeiro de  2015.  Essa demora seria uma forma de não irritar os torcedores do Cerro, que perderam os dois jogadores em tão curto espaço de tempo.

ÁNGEL E ÓSCAR ROMEROQuando atuarem juntos pelo Corinthians, Angél e Óscar Romero aumentarão as pequenas estatísticas de gêmeos que vestiram a mesma camisa nos gramados brasileiros. Antes deles, surgiram nas categorias de base do Fluminense os gêmeos Fábio e Rafael, hoje com 24 anos. “Eram bons de bola desde que começamos a trabalhar juntos, em 2003, no time sub-13”, afirma Edgar Pereira, primeiro técnico da dupla. “O Rafael chegou aqui como atacante, mas logo percebi que levava jeito para lateral”, conta Pereira. “Com o Fábio, foi mais difícil. Ele era meio-campista e precisei fazer alguns testes até descobrir que ele seria um bom lateral-esquerdo”.

FÁBIO E RAFAEL - GÊMEOS DO FUTEBOL 1

FÁBIO E RAFAEL - GÊMEOS DO FUTEBOLEm 2005, Fábio foi convocado para a Seleção Brasileira Sub-15. “Eles ficaram muito tristes porque só um havia sido convocado”, lembra o treinador. No ano seguinte, Pereira resolveu o problema. Ao assumir o comando daquela Seleção de base, ele tratou de convocar Rafael também. “Sofri críticas, mas o fato é que não havia melhor escolhas do que eles”. Mesmo sem nunca ter jogado no time profissional do Fluminense, a dupla se transferiu em 2008 para o Manchester United, da Inglaterra.
Mano Menezes também chamou os dois para a Seleção principal. Fábio foi convocado em 2011 e Rafael, no ano seguinte. Não chegaram a jogar juntos. Depois que Luiz Felipe Scolari assumiu o cargo, os gêmeos nunca mais foram lembrados. Atualmente, eles jogam um contra o outro: Rafael continua no Manchester United, mas Fábio foi emprestado ao Cardiff City, que subiu para a primeira divisão do Campeonato Inglês.

Outros gêmeos que atuaram juntos por uma mesma equipe foram os atacantes Diego e Diogo, 29 anos. Eles defenderam o Internacional no início dos anos 2000. “O estilo de jogo deles é totalmente diferente, mas a escolha pelo futebol vem do sangue” garante o pai, o ex-lateral João Carlos, campeão brasileiro invicto pelo Colorado em 1979. No Inter, os irmãos jogaram juntos até 2005, ano em que Diego se transferiu para o Santos. “A gente sabia que a carreira não ia ser sempre lado a lado”, conforma-se Diogo, que em abril rescindiu seu contrato com o Icasa, de Juazeiro do Norte (CE).

João Carlos acredita que houve falta de sensibilidade por parte do clube gaúcho e isso atrapalhou o crescimento dos gêmeos. “A torcida queria ver os dois atuando juntos”, opina o ex-jogador. Atualmente, Diego atua no AEL Limassol, do Chipre, e Diogo está sem clube. Ao redor do mundo, outros gêmeos ficaram famosos por jogar na mesma equipe. Na Argentina, Gustavo e Guillermo Schelotto, hoje com 41 anos, iniciaram a carreira em 1991 no time profissional do Gimnasia Y Esgrima La Plata. Ficaram lá durante seis anos, até se  transferirem para equipes diferentes. Reencontraram-se em 2000, no Boca Juniors, também da Argentina, e conquistaram a Libertadores. Atualmente, Guillermo é técnico do Lanús e Gustavo, seu auxiliar.

Revelados em 1970, os gêmeos holandeses Frank e Ronald de Boer fizeram sucesso no Ajax, conquistando juntos cinco campeonatos nacionais pelo clube de Amsterdã. Em 1998, os dois se transferiram para o Barcelona, da Espanha. Pouco tempo depois, a dupla se desfez e eles foram para clubes diferentes. Os irmãos também atuaram juntos pela Seleção da Holanda nas Copas de 1994 e 1998.

FRANK E RONALD DE BOER

Os zagueiros Vasiliy e Aleksey Berezutskiy são ídolos russos. Nascidos em 20 de julho de 1982, os gêmeos de 1,90 metro estrearam profissionalmente aos 17 anos no Moscou Futebol Clube. Em 2001, foram contratados pelo CSKA, onde conquistaram três campeonatos russos e uma Copa da UEFA, em 2005.

Menos famosos, os gêmeos e meio-campistas italianos Emanuele e Antonio Filippini, 41 anos, começaram juntos, em 1991, no Brescia. Ao longo da carreira, alternaram-se entre times das séries A e B do Campeonato Italiano. Lado a lado, jogaram ainda em outras cinco equipes da Itália: Ospitaletto, Palermo, Lazio, Trevisio e Livorno.