Condoleeza Rice
“Criminosa de Guerra!”, gritou uma ativista com as mãos pintadas de tinta vermelha, simulando manchas de sangue, para a então secretária de Estado norte-americana Condoleeza Rice. O incidente ocorreu em 24 de outubro de 2007, no congresso dos Estados Unidos.

George W. Bush

O jornalista iraquiano Muntazar al-Zaidi atirou os dois sapatos contra o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, durante coletiva de imprensa na capital do país, Bagdá. Em países árabes, jogar o sapato em alguém é considerado o pior tipo de ofensa. “Esse é o  beijo de despedida do povo iraquiano, seu cachorro”, gritou o jornalista, que foi contido por seguranças e retirado da sala. Bush conseguiu desviar dos pisantes e não foi ferido. O fato aconteceu 37 dias antes de George W. Bush entregar o governo para o democrata Barack Hussein Obama, em 14 de dezembro de 2008. Pela agressão, o jornalista Muntazar al-Zaidi foi condenado a 3 anos de prisão.

James Wolfensohn (Presidente do Banco Mundial)
James Wolfensohn foi atingido no rosto por uma torta quando ocupava o cargo de presidente do Banco Mundial, em abril de 2001. O agressor agiu durante uma coletiva de imprensa em Helsinque, na Finlândia. James Wolfensohn reagiu com bom humor e declarou que, “apesar de saboroso”, o doce “arrunaria sua dieta”.

José Dirceu
O escritor infanto-juvenil Yves Hublet agrediu a bengaladas o então deputado federal José Dirceu, no dia 29 de novembro de 2005. O escritor de 67 anos golpeou Dirceu duas vezes na cabeça com uma bengala com ponta de ferro, na saída do plenário da Câmara. Detido pela polícia, Hublet disse que teve “um súbito ataque de nervosismo”.

José Genoíno

Um movimento autodenominado “Confeiteiros sem Fronteiras” jogou uma torta de morango com chantilly no rosto do deputado federal José Genoíno. O ato aconteceu em Porto Alegre, durante o Fórum Social Mundial no dia 26 de janeiro de 2003.

Mário Covas

Governador do estado de São Paulo na época, Mário Covas foi atingido no peito por um ovo jogado por manifestantes, em protesto contra o projeto de lei que prejudicaria os servidores públicos, ao aumentar a contribuição deles à previdência. O caso aconteceu em 1999.

Nick Griffin
Líder do partido inglês BNP, de extrema-direita, Griffin foi atacado por manifestantes durante um discurso em frente ao parlamento, em junho de 2009. Protestando contra o aumento do neo-fascismo na Europa, os revoltosos tacaram ovos e fizeram com que o político fugisse por um carro cheio de seguranças.

Príncipe Charles
Não se bate nem com uma flor? A adolescente letã Alina Lebedeva discordou e atingiu o rosto do Príncipe Charles com um cravo. O protesto aconteceu durante a visita do príncipe inglês à cidade de Riga, capital da Letônia, em novembro de 2001. Ao ser presa, a manifestante declarou: “Eu estou protestando contra a entrada da Letônia na Otan e contra a guerra no Afeganistão. A Grã-Bretanha é o inimigo”.

Ricardo Berzoini
“É isso que você merece!” Foi a frase dita por uma ativista do grupo “Crítica Radical”, depois de atirar uma torta contra o rosto do então ministro do Trabalho, Ricardo Berzoini. O protesto aconteceu durante a cerimônia de inauguração do “Centro da Juventude do Estado”, na sede da Federação das Indústrias do Ceará, em fevereiro de 2002. O “Crítica Radical” se autodenomina anticapitalista e na época declarou que o gesto foi direcionado a todo o governo Lula.

Ronaldo Sardenberg
O vice-presidente da UNE Adriano de Oliveira quebrou um ovo no ombro no então ministro da Ciência e Tecnologia, Ronaldo Sardenberg, em julho de 2000. O ato aconteceu durante um congresso na Universidade de Brasília. O ministro não reagiu, apenas ficou repetindo a frase “Isso é um absurdo, isso é um absurdo”.

Tony Blair
Em janeiro de 2001, manifestantes contrários às sanções impostas ao Iraque por países ocidentais jogaram frutas e verduras podres no então primeiro-ministro briânico, Tony Blair. O político foi acertado nas costas por um tomate maduro, na cidade de Bristol, na Inglaterra.

Wen Jiabao
O primeiro-ministro chinês Wen Jiabao também foi alvo de sapatadas no dia 2 de fevereiro de 2009. Um manifestante atirou o sapato em Wen Jiabao e gritou “Isto é um escândalo”. O incidente durante um discurso do político na Universidade de Cambridge, na Inglaterra.