PETROBRAS

Em 1953, o presidente Getúlio Vargas assinou a Lei 2004 que fundava a Petróleo Brasileiro S/A (Petrobrás). A empresa estatal nasceu em meio a um intenso debate sobre as formas de exploração dos recursos energéticos do país. De um lado estavam os liberais, que defendiam o uso de capital estrangeiro. Do outro, os nacionalistas, autores da campanha O petróleo é nosso. Esses acreditavam que o Brasil poderia dar conta do recado e cuidar sozinho da mineração e produção petrolífera.

Quando Getúlio enviou ao Congresso Nacional o projeto de criação da Petrobrás, delineou um modelo que atendesse ambos os grupos. Trata-se de uma empresa de capital misto, aberta à participação minoritária de capital estrangeiro. Mas o fortalecimento da campanha O Petróleo é Nosso fez com que o modelo nacionalista vencesse. A indústria petrolífera nasceu estatal, com monopólio da exploração, extração e refino do produto e produzindo 2,7 mil barris por dia. O primeiro funcionário a ser contratado foi o auxiliar de refino Eugênio Antonelli. O crachá que carregou durante os 38 anos de serviços prestados levava o número 001.

Em 2003, ano da comemoração de seus 50 anos, a Petrobrás ocupava o 15º lugar entre as maiores indústrias petrolíferas do mundo, com uma produção diária de 1,5 milhões de barris.