DOUTORES DA ALEGRIA

1. O trupe se auto-intitula “besteirologistas” (especialistas em besteiras). Consiste em um grupo de artistas treinados que se vestem de palhaços e visitam os hospitais, levando alegria às crianças internadas, seus pais e profissionais da saúde que atuam no local.

2. O ator Wellington Nogueira fundou o grupo em 1991. Ele conheceu esse tipo de “terapia” em 1988, ano em que entrou para o Clown Care Unit. O grupo formado e liderado pelo norte-americano Michael Christensen em 1986 em Nova York (EUA) foi pioneiro no trabalho com palhaços em hospitais.

3. O primeiro hospital a ser atendido pelos “besteirologistas” no Brasil foi o Hospital da Criança (antigo Hospital e Maternidade Nossa Senhora de Lourdes), em São Paulo (SP). Em 2005, os Doutores já atuavam em 10 hospitais na capital paulistana, Rio de Janeiro (RJ) e Recife (PE).

4. Até 2005, 350 mil crianças e adolescentes, 500 mil familiares e 10 mil profissionais de saúde já haviam sido visitados pelos palhaços-médicos.

5. No começo, o local de encontro para reuniões do grupo era a casa da mãe de Wellington, Dona Bemvinda.

6. Possuem um Centro de Pesquisa que estuda o alcance das ações promovidas no tratamento e recuperação dos pacientes.

7. Lançou em 2001 O Livro dos Segundos Socorros, que possui jogos, brincadeiras e dicas para as crianças entenderem o que são as doenças e como ter uma vida saudável. Em 2004, publicou uma nova obra: Poemas Esparadrápicos. Ele contém 14 poesias de diferentes autores que vêm enroladas como esparadrapo e podem ser destacadas e coladas em qualquer lugar.

8. Em 2005, chegou aos cinemas Doutores da Alegria –  O Filme. O documentário mostra a atuação dos palhaços em hospitais de São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ) e traz depoimento dos profissionais envolvidos no trabalho. O longa ganhou o prêmio de Melhor Filme no Festival de Cinema Brasileiro de Nova York (EUA) e o prêmio especial do júri e do júri popular no Festival de Gramado (RS).