Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Como se classificam os furacões?

24 de abril de 2019

A Escala Saffir-Simpson estabelece cinco níveis diferentes para os furacões. A escala foi criada pelo engenheiro Herbert Saffir (1917-2007), que realizou diversos estudos sobre o impacto dos furacões sobre as construções, e pelo meteorologista Robert Simpson (1912-2014), que foi Diretor do Centro Nacional de Furacões e do Projeto Nacional de Pesquisa sobre Furacões. “O nível de destruição é avaliado a partir da velocidade máxima dos ventos”, afirma Augusto José Pereira Filho, do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP.

Para a escala Saffir-Simpson, ventos que oscilem entre 67 e 119 quilômetros por hora ainda não são classificados como furacões e sim como tempestades tropicais. Quando passam dos 119 e vão até os 153 quilômetros, são considerados de nível 1, os mais leves, causando possíveis destelhamentos e quedas de árvores com raízes mais frágeis. Entre 154 e 177 quilômetros, já passa para o nível 2, causando eventuais danos em árvores maiores e quedas de energia.

O nível 3 tem ventos de 178 a 208 km/h (e destruição parcial de edifícios, além de falta d’água). No nível 4, os ventos variam de 209 a 251 quilômetros. A região fica, de acordo com a escala, inabitável quando o furacão atinge esse ponto. O estrago só é maior no nível 5, que deixa o local destruído por meses graças a ventos que ultrapassem os 252 quilômetros. “Além da velocidade, é preciso levar em conta a pressão na superfície do olho do furacão para decretar a categoria”, alerta Augusto.

Augusto esclarece ainda as diferenças entre algumas ocorrências naturais comuns: “Do ponto de vista físico do fenômeno, não há nenhuma diferença entre furacão, ciclone e tufão. A diferença é que o primeiro acontece na América do Norte, o segundo na Oceania e o terceiro na Ásia”, esclarece. “O tornado já é um pouco diferente, pois está associado a uma forte tempestade”. Os tornados são classificados, também de acordo com a intensidade, em sete categorias (F0, F1, F2, F3, F4, F5 e F6) em escala criada pelo Dr. Ted Fujita (1920-1998), pesquisador de grandes tempestades.

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Por que o céu é azul?

Por que o céu é azul?

A razão pela qual o céu é azul está relacionado em como a luz do sol é espalhada pelas moléculas que nós temos na nossa atmosfera. Na verdade, a luz do sol tem vários comprimentos de onda, tem várias cores, então a emissão do sol é emissão em banda larga com várias...

10 curiosidades sobre os pés

10 curiosidades sobre os pés

  1. Os 52 ossos dos dois pés humanos representam 1/4 de todos os ossos do corpo.  2. Cada pé humano possui 26 ossos e 33 músculos. 3. Uma pessoa dá, em média, 9 mil passos por dia. Isso significa que, ao final da vida, ela terá dado quatro voltas ao redor do...

Xingamentos e palavrões

Xingamentos e palavrões

Por que xingar é tão bom? Depois de acertar o dedo com um martelo, o pesquisador Richard Stevens, da Universidade de Keele, na Inglaterra, tentou entender. O acadêmico realizou um teste interessante: juntou várias pessoas e fez com que elas...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This