• Glauco Vilas Boas  nasceu em 10 de março 1957 em Jandaia do Sul, no Paraná.
  • Fundou a igreja Céu de Maria, uma versão urbana do Santo Daime.
  • Além de cartunista, era músico. Compôs cerca de 100 hinos para os rituais da doutrina. Dizia que abandonara a cocaína e o álcool graças ao Daime.
  • Aos 18 anos, Glauco prestou vestibular para engenharia. Não passou.
  • Em 1977, ganhou um prêmio no Salão do Humor de Piracicaba. No júri, estavam presentes cartunistas prestigiados: Jaguar, Millôr Fernandes, Henfil e Angeli.
  • Era cartunista do jornal “Folha de S. Paulo”, e ficou conhecido pelo humor que passava longe do politicamente correto. Seu persoganem mais famoso, o Geraldão, era um boneco com várias seringas, cigarros e, muitas vezes, nu. Geraldão já apareceu ao lado de outros personagens, como Garfield e Cebolinha.
  • Além de Geraldão, dentre os personagens mais famosos de Glauco estão o Casal Neuras, Dona Marta, Zé do Apocalipse e Doy Jorge.
  • Teve dois filhos, que tinham menos de cinco meses de diferença de idade: Raoni, com Erica Ornellas; e Ipojucã, filho de Nimoengaju, uma índia caiuá. Glauco criou o personagem Geraldinho inspirado nos filhos.
  • Não gostava de desenhar com o computador, pois achava que o resultado parecia feito por uma criança. Mesmo assim, costumava colorir seus desenhos usando programas de edição de imagem.
  • Glauco morreu na madrugada do dia 12 de março de 2010.