Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Curiosidades de Mafalda, a adorável garotinha de Quino

30 de setembro de 2014

No dia 29 de setembro de 1964, a personagem dos quadrinhos Mafalda apareceu pela primeira vez, em uma tira publicada na revista argentina semanal de política Primera Plana. Com um humor irreverente, Mafalda faz críticas e reflexões sobre temas relevantes na Argentina e no mundo. Em homenagem à data, trazemos 10 curiosidades:

1. Joaquín Salvador Lavado, conhecido como Quino, é o idealizador dos quadrinhos da Mafalda. Filho de imigrantes espanhóis, o cartunista nasceu em Mendoza (Argentina) em 17 de julho de 1932. Mas na hora de fazer o registro, o cartório errou e colocou como data de nascimento o dia 17 de agosto.


2. A personagem foi criada pelo argentino em 1963, quando ele foi contratado pela loja de eletrodomésticos Mansfield para desenhar uma tira publicitária. A campanha acabou sendo derrubada, e Quino aproveitou o trabalho quando, no ano seguinte, a revista Primera Plana abriu espaço para a publicação regular de suas tiras.

3. Por que “Mafalda”? Um dos requisitos das lojas Mansfield era que o nome da personagem principal começasse com “M” – mesma letra que principiava o nome da loja. Quino inspirou-se em uma das personagens da novela Dar la Cara, de David Viñas, para batizar Mafalda. As feições do desenho foram baseadas na avó do cartunista.


4. No ano seguinte, 1965, Mafalda apareceu no jornal El Mundo, onde começou a ganhar fama internacional. Mas a personagem estourou mesmo em 1966, com o lançamento do primeiro livro de tiras, Mafalda, que vendeu em dois dias uma tiragem de cinco mil exemplares. A segunda tiragem – dessa vez de 200 mil – esgotou-se no mesmo período de tempo.


5. Na Itália, o livro ganhou apresentação do reconhecido escritor Umberto Eco. Quando a obra saiu na Espanha, em 1970, o ditador Francisco Franco ordenou que a editora colocasse na capa uma tarja com os dizeres “Somente para adultos”.


6. As tirinhas da Mafalda também chegaram ao Brasil em plena Ditadura Militar, em 1973. Eram publicadas na revista Patota, da Editora Artenova, destinada ao público adolescente.


7. Ao longo destes 50 anos, as tiras da Mafalda foram traduzidas para 26 línguas, entre elas o chinês e o finlandês. Curiosamente, a língua inglesa tem tímida expressão nessa lista. Raras tiras da Mafalda foram publicadas em inglês – e nenhuma delas, nos Estados Unidos.


8. Uma série animada de 260 episódios – cada um com um minuto e meio de duração – foi ao ar na Argentina em 1972. Os vídeos chegaram a ser exibidos pela Rede Globo ainda nos anos 70, ao longo dos intervalos comerciais. Em 1994, foi produzida na Espanha uma segunda versão da série, desta vez com 104 capítulos.

9. Quino deixou de escrever novas histórias com a Mafalda em 1973. Muitos admiradores o acusaram de “matar” a garotinha. Ele se defendeu dizendo que o sucesso da personagem até hoje é a maior prova de que ela ainda esteja viva.

10. Em 1995, foi inaugurada em Buenos Aires, capital argentina, a Plaza Mafalda, espaço público no bairro Colegiales que homenageia a personagem. Em 2009, uma estátua de Mafalda sentada em um banco foi instalada próxima ao endereço onde morava Quino.

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

O dia em que o Capitão 7 disse não a Assis Chateaubriand

O dia em que o Capitão 7 disse não a Assis Chateaubriand

O Capitão 7, como o nome e o número sugeriam, foi criado na TV Record Canal 7, em 1954, mesmo ano em que a TV Tupi Canal 3 lançou o Falcão Negro. O Capitão 7 era interpretado pelo ator Ayres Campos. As suas aventuras tinham uma pegada ligada às histórias de ficção...

O “mendigo da praça”: um personagem, dois atores

O “mendigo da praça”: um personagem, dois atores

Zé Bonitinho, que era o perigote das mulheres, surgiu na TV brasileira no finalzinho dos anos 1950. Foi criado pelo próprio Loredo para a TV Rio e inicialmente escrito pelo Chico Anysio. Pouca gente se lembra (ou sabe) que Jorge Loredo interpretou vários outros...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This