Marcelo Costa de Andrade – “O Vampiro de Niterói” – Confessou, em 1992, ter estuprado, degolado, matado e bebido o sangue de 14 crianças. Considerado louco, não chegou a ser julgado. Foi transferido para o Manicômio Judiciário Heitor Carrilho, no Rio de Janeiro.

João Acácio Pereira da Costa – O “Bandido da Luz Vermelha” – ficou conhecido em todo o país por invadir casas no final da madrugada, vestindo um lenço para cobrir o rosto e usando uma lanterna com uma lâmpada vermelha. Foi preso no Paraná, em 1967 e condenado por 88 crimes, entre eles 4 assassinatos. De acordo com sua pena, deveria ficar preso até o ano de 2319. Ficou 30 anos na cadeia, e saiu de lá louco. Solto em setembro de 1997, João foi morto em legítima defesa por Nelson Pinzegher, depois de cinco meses de liberdade.

Francisco de Assis Pereira – “O Maníaco do Parque” – Foi preso em 1998. Atraía mulheres para o Parque do Estado, em São Paulo, com a promessa de uma sessão fotográfica. Lá, estuprava e matava a vítima. Em depoimento afirmou lembrar-se de ter matado 10 mulheres, mas somente cinco foram comprovadas. Em 2002 foi condenado a 121 anos de cadeia por assassinato, ocultação de cadáver, estupro e atentado violento ao pudor.

Francisco Costa Rocha – “Chico Picadinho” – Esquartejou duas prostitutas da mesma forma nos anos de 1966 e 1976, em São Paulo. Ele guardava os pedaços da mulher em uma mala. Foi preso pelo primeiro crime em 1966, mas solto por bom comportamento nove anos depois, quando voltou a matar e esquartejar outra mulher. Voltou para a cadeia a foi condenado a 30 anos de prisão. Na cadeia foi entrevistado pela jornalista Ilana Casoy, para o livro Serial Killers Made in Brazil. Ilana conta que se surpreendeu com a cultura de Francisco, que citou autores como Dostoievsk, Hermann Hesse e Jean Paul Sartre.