O icônico tapete vermelho, por onde desfilam os principais astros e estrelas do cinema, entrou para a história da cerimônia de entrega do Oscar em 1961. Mas os tapetes vermelhos já figuravam em estreias cinematográficas desde 1922. O empresário Sid Patrick Grauman (1879-1950) teve a ideia de estender um na sessão de lançamento de “Robin Hood”, estrelado por Douglas Fairbanks, no Grauman’s Egyptian Theater, em Hollywood.

Apenas na cerimônia de 2023 o tapete vermelho foi trocado por um na cor champanhe.

O tapete na festa de 2024 tinha 4.645 metros quadrados.

Os tapetes vermelhos têm sido um elemento básico em estreias e galas desde 1922, quando o showman Sid Grauman desenrolou um para a estreia de 1922 de “Robin Hood”, estrelado por Douglas Fairbanks, no Egyptian Theater em Hollywood. O Oscar adotou a prática a partir da cerimônia de 1961 e, desde então, a cor especial —conhecida como Vermelho Academia— é instantaneamente reconhecível em fotos.