O músico tcheco Julius Arnošt Vilém Fučík (1872-1916) compôs cerca de 400 marchas, polcas e valsas. Tanto que ficou conhecido em seu país como “rei das marchas militares”. Sua obra mais conhecida, “Entrada dos Gladiadores” (1897), porém, acabou sendo associada aos espetáculos circenses a partir do início do século XX.

A famosa canção nasceu como uma marcha militar e recebeu inicialmente o nome de “Grande Marcha Cromática”, por causa do uso de escalas cromáticas ao longo da obra. Depois mudou de nome para “Entrada dos Gladiadores” porque o compositor tinha forte atração pela cultura e história romanas.

Como a música foi parar nos circos? Em 1901, o canadense Louis-Philippe Laurendeau fez uma versão da marcha para o órgão, rebatizada de “Thunder and Blazes” [Trovão e Chamas”]. Foi essa versão, num ritmo pouco mais acelerado, que acabou indo parar nos espetáculos circenses. Na República Tcheca, “Entrada de Gladiadores” ainda é uma música patriótica.