Uggie, Chita, Totó e suas biografias animais

2 de novembro de 2020

Beatiful Joe

A primeira autobiografia de um animal de que se tem notícia é “Beautiful Joe”, de 1893. Trata-se da triste história de vida do cão Joe, um terrier que sofreu maus tratos de seu dono, que chegou a cortar-lhe a cauda e as orelhas a sangue frio. Escrito por Margaret Marshall Saunders, irmã do homem que salvou Joe da morte, o livro marcou o início da luta mundial a favor dos direitos dos animais. “Beautiful Joe” foi o primeiro livro canadense da história a vender mais de um milhão de cópias.

Uggie

Uggie, o cachorrinho que estrelou o filme “O Artista”, vencedor do Oscar 2012, acaba de lançar sua biografia. Você leu certo: em “Uggie: The Artist: My Story”, o Jack Russel terrier de 10 anos de idade, único cão a deixar sua marca na calçada da fama de Hollywood, conta a história de sua vida. Mas é claro que não foi ele que escreveu o livro. A ghostwriter por trás da obra é a inglesa Wendy Holden, que já havia trabalhado como colaboradora na biografia da atriz Goldie Hawn. A escritora conversou com Omar Muller, treinador de Uggie, que lhe confidenciou os detalhes sobre a vida do cãozinho. O livro é dedicado a Reese Witherspoon (“meu amor, minha luz”), atriz com quem Uggie, agora aposentado, contracenou em “Água para Elefantes”. Uggie morreu em 2015, com 13 anos.

Chita

A chimpanzé que acompanhava o Tarzan interpretado pelo ator Johnny Weissmuller lançou em julho de 2009 sua autobiografia. Intitulada “Me Cheeta” (“Mim Chita”), a obra foi escrita pelo ghostwriter James Lever, e conta a trajetória de um dos primatas mais famosos do cinema. Chita, cujo nome verdadeiro é Jiggs, nasceu na década de 1930 na selva da Libéria, na África. O livro revela que “Chita” é um chimpanzé macho, capturado exclusivamente para estrelar o primeiro filme do personagem Tarzan – “Tarzan – o Homem Macaco”, em 1932. No total, 12 chimpanzés fizeram o papel de Chita ao longo da história. O chimpanzé Jiggs morreu aos 80 anos de idade, no dia 24 de dezembro de 2011.

Totó

Onze anos antes de Uggie, outro famoso cachorrinho que fez fama nas telonas já lançava sua autobiografia. Em 2001, o escritor Willard Carroll lançou a obra “I, Toto: The Autobiography of Terry, The Dog Who Was Toto” (“Eu, Totó: A Autobiografia de Terry, o Cão que Interpretou Totó”), baseando-se em um scrapbook feito por Carl Spitz, treinador do cãozinho de “O Mágico de Oz” (1939). No livro, Totó diz ter se sentido o personagem principal do filme, já que aparece por mais tempo do que a protagonista Dorothy. O filme tem nove tomadas solos de Totó, que late 44 vezes ao longo da história. Terry, que, na verdade, era uma fêmea, participou de 14 filmes hollywoodianos em sua vida, incluindo “Olhos Encantados” (1934), com a atriz mirim Shirley Temple.

Artigos Relacionados

O primeiro dinossauro brasileiro

O primeiro dinossauro brasileiro

Fósseis atribuídos a dinossauros são encontrados no Brasil desde o início dos anos 1900. A primeira espécie oficialmente descoberta foi a Staurikosaurus Pricei, descrita em 1970. O dinossauro de 2 metros de comprimento e carnívoro foi encontrado no Rio Grande do Sul....

Qual é o inseto mais perigoso que existe?

Qual é o inseto mais perigoso que existe?

Existem vários insetos perigosos no mundo todo. Podemos dividi-los em dois grupos: aqueles que transmitem doenças e os que possuem veneno. Os insetos que causam doenças são espécies de mosquitos que transmitem a febre amarela, a dengue e a malária. [yotuwp...

Qual é o animal com os maiores chifres?

Qual é o animal com os maiores chifres?

Qual é o bicho com o maior chifre na natureza? Os chifres de alguns animais são usados para impressionar as parceiras e os parceiros e, principalmente, para se defender. É difícil saber qual é a espécie de animal selvagem com os maiores chifres entre todos. Os...

2 Comentários

2 Comentários

  1. Fabio Machado

    Marcelo Duarte, uma dúvida: a revista dos curiosos teve quantas edições? Acho que tenho todas guardadas com carinho. Inclusive em uma edições uma carta (com foto) minha foi publicada. Abraços

    Responder
  2. Fabio Machado

    Marcelo Duarte, uma dúvida: a revista dos curiosos teve quantas edições? Acho que tenho todas guardadas com carinho. Inclusive em uma edições uma carta (com foto) minha foi publicada. Abraços

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This