Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

A medalha que presta homenagem a animais que lutaram em guerras

23 de julho de 2015

Uma condecoração militar concedida por bravura para um…  pombo-correio? Pode soar estranho, mas ouvi essa história há cerca de uma vez numa visita ao Memorial Pegasus, um dos belos museus sobre o desembarque do Dia D na região da Normandia, na França. Foi assim que fiquei conhecendo a história da PDSA (People’s Dispensary for Sick Animals), entidade fundada em 17 de novembro 1917 pela inglesa Maria Elisabeth Dickin (1870–1951), em meio à Primeira Guerra Mundial. Há 72 anos, Maria Elisabeth criou também uma medalha entregue a animais que tenham desempenhado algum papel importante numa guerra: a PDSA Dickin Medal.

Esse é o prêmio mais relevante que um animal pode receber por servir militarmente durante um conflito. A medalha em bronze carrega os dizeres: “Por Bravura” e “Nós Também Servimos”. A fita que a acompanha tem as faixas verde, marrom e azul, representando água, terra e ar, alusão à Marinha, ao Exército e à Aeronáutica. Para fazer jus ao prêmio, os animais devem obedecer duas regras:  ter sido fundamental para salvar vidas humanas ou animais enquanto sua própria vida estava em perigo ou ter sido morto ou seriamente ferido durante combate. De 1941 para cá, a medalha foi destinada a 65 animais – 32 pombos-correio, 29 cachorros, 3 cavalos e 1 gato. Destacamos alguns dos condecorados:

Winkie: Foi o primeiro animal a receber a Dickin Medal. O pombo-correio foi condecorado em 2 de dezembro de 1943 por “entregar uma mensagem em circunstâncias de dificuldades excepcionais e contribuir com o resgate de uma tripulação enquanto servia a RAF (força aérea britânica) em fevereiro de 1942”. Winkie era um dos homenageados do Memorial Pegasus.

O pombo-correio Winkie foi o primeiro animal a receber a Dickin Medal

 

A homenagem de Winkie no Memorial Pegasus. O museu e memorial fica em Ranville, na baixa Normandia, França

Regal, Olga e Upstart: Os três cavalos receberam seus prêmios no dia 11 de abril de 1947 no Hyde Park, em Londres, em reconhecimento à bravura que demonstraram na Segunda Guerra.

Da esquerda para a direita: Olga, Regal e Upstart.

Simon: O gato viajava a bordo do barco inglês HMS Amethyst pelo rio Yangtze quando foi atacada por barcos que representavam os comunistas em meio a Guerra Civil Chinesa. Assustado, ele foi encontrado 5 dias depois com graves ferimentos. Os sobreviventes se sentiram reconfortados com a presença da mascote, que também ajudou a exterminar com o avanço de ratos. O felino, que viveu toda sua vida no mar, morreu quatro dias antes de receber sua medalha, em 1948, e foi enterrado no cemitério de animais da PSDA na Inglaterra. Ele foi o único gato que recebeu a condecoração.

Simon é o único felino que recebeu a condecoração.

Sadie: A cadela labrador nascida e treinada em Lancanshire, na Inglaterra, ganhou sua Dickin Medal por farejar explosivo na sede das Nações Unidas em Kabul, no Afeganistão, em 2005.

Além da Dickin Medal, a organização criou também mais dois prêmios: a PDSA Golden Medal e a PDSA Order of Merit. A Golden Medal nasceu em 2001 e recompensa atos civis de bravura e devoção ao serviço. Até hoje, 23 animais receberam a honraria. O primeiro foi o cão Bulla, morto em maio de 1990 ao tentar conter um homem com uma faca que ameaçava civis e policiais. Ferido no pescoço e no coração, Bulla morreu no local.

Morto em 1990, Bulla foi o primeiro animal civil a receber a Golden Medal

Já a Order of Merit reconhece animais que participaram de maneira altamente devota para com seus donos ou sociedade. Qualquer animal que tenha serviços prestados para a comunidade pode receber a honraria. Os primeiros laureados, em 2014, foram cavalos e cachorros da polícia londrina.

Leia também: O primeiro rato a ganhar uma medalha por sua bravura

Web Stories

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Mistério do Natal: você já viu um chester vivo?

Mistério do Natal: você já viu um chester vivo?

O chester é um dos pratos mais populares na ceia de Natal no Brasil. Você já viu um chester? Não a ave congelada, mas e a ave viva! Pouco se sabe sobre a vida do chester antes de chegar à mesa. Existem muitas teorias a respeito delas. Algumas pessoas comentam que é...

É verdade que as baleias cantam?

É verdade que as baleias cantam?

Muitas espécies de baleias cantam, sim! Elas emitem sons que se propagam por todo o oceano. O que não se sabe ao certo é qual a verdadeira finalidade de todo o repertório de músicas. Uma das espécies que mais gosta de cantar é a beluga - tanto que os antigos...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Share This
Os 100 anos dos ursinhos da Haribo Qual é a origem do Creme Nivea? Você conhece o axolote, o “monstro aquático”? As pioneiras da ficção Científica