Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

A medalha que presta homenagem a animais que lutaram em guerras

23 de julho de 2015

Uma condecoração militar concedida por bravura para um…  pombo-correio? Pode soar estranho, mas ouvi essa história há cerca de uma vez numa visita ao Memorial Pegasus, um dos belos museus sobre o desembarque do Dia D na região da Normandia, na França. Foi assim que fiquei conhecendo a história da PDSA (People’s Dispensary for Sick Animals), entidade fundada em 17 de novembro 1917 pela inglesa Maria Elisabeth Dickin (1870–1951), em meio à Primeira Guerra Mundial. Há 72 anos, Maria Elisabeth criou também uma medalha entregue a animais que tenham desempenhado algum papel importante numa guerra: a PDSA Dickin Medal.

Esse é o prêmio mais relevante que um animal pode receber por servir militarmente durante um conflito. A medalha em bronze carrega os dizeres: “Por Bravura” e “Nós Também Servimos”. A fita que a acompanha tem as faixas verde, marrom e azul, representando água, terra e ar, alusão à Marinha, ao Exército e à Aeronáutica. Para fazer jus ao prêmio, os animais devem obedecer duas regras:  ter sido fundamental para salvar vidas humanas ou animais enquanto sua própria vida estava em perigo ou ter sido morto ou seriamente ferido durante combate. De 1941 para cá, a medalha foi destinada a 65 animais – 32 pombos-correio, 29 cachorros, 3 cavalos e 1 gato. Destacamos alguns dos condecorados:

Winkie: Foi o primeiro animal a receber a Dickin Medal. O pombo-correio foi condecorado em 2 de dezembro de 1943 por “entregar uma mensagem em circunstâncias de dificuldades excepcionais e contribuir com o resgate de uma tripulação enquanto servia a RAF (força aérea britânica) em fevereiro de 1942”. Winkie era um dos homenageados do Memorial Pegasus.

O pombo-correio Winkie foi o primeiro animal a receber a Dickin Medal

 

A homenagem de Winkie no Memorial Pegasus. O museu e memorial fica em Ranville, na baixa Normandia, França

Regal, Olga e Upstart: Os três cavalos receberam seus prêmios no dia 11 de abril de 1947 no Hyde Park, em Londres, em reconhecimento à bravura que demonstraram na Segunda Guerra.

Da esquerda para a direita: Olga, Regal e Upstart.

Simon: O gato viajava a bordo do barco inglês HMS Amethyst pelo rio Yangtze quando foi atacada por barcos que representavam os comunistas em meio a Guerra Civil Chinesa. Assustado, ele foi encontrado 5 dias depois com graves ferimentos. Os sobreviventes se sentiram reconfortados com a presença da mascote, que também ajudou a exterminar com o avanço de ratos. O felino, que viveu toda sua vida no mar, morreu quatro dias antes de receber sua medalha, em 1948, e foi enterrado no cemitério de animais da PSDA na Inglaterra. Ele foi o único gato que recebeu a condecoração.

Simon é o único felino que recebeu a condecoração.

Sadie: A cadela labrador nascida e treinada em Lancanshire, na Inglaterra, ganhou sua Dickin Medal por farejar explosivo na sede das Nações Unidas em Kabul, no Afeganistão, em 2005.

Além da Dickin Medal, a organização criou também mais dois prêmios: a PDSA Golden Medal e a PDSA Order of Merit. A Golden Medal nasceu em 2001 e recompensa atos civis de bravura e devoção ao serviço. Até hoje, 23 animais receberam a honraria. O primeiro foi o cão Bulla, morto em maio de 1990 ao tentar conter um homem com uma faca que ameaçava civis e policiais. Ferido no pescoço e no coração, Bulla morreu no local.

Morto em 1990, Bulla foi o primeiro animal civil a receber a Golden Medal

Já a Order of Merit reconhece animais que participaram de maneira altamente devota para com seus donos ou sociedade. Qualquer animal que tenha serviços prestados para a comunidade pode receber a honraria. Os primeiros laureados, em 2014, foram cavalos e cachorros da polícia londrina.

Leia também: O primeiro rato a ganhar uma medalha por sua bravura

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Pterossauro ganha nome em homenagem à Mulher-Maravilha

Pterossauro ganha nome em homenagem à Mulher-Maravilha

O paleontólogo e paleoartista Ariel Milani Martine apresenta a mais nova descoberta na área: o kariridraco dinae, o pterossauro que viveu há 100 milhões de anos na Chapada do Araripe, no Nordeste braslleiro. "Kariri" é uma referência à etnia indígena da região....

Como os cachorros se comunicam entre si

Como os cachorros se comunicam entre si

A exemplo dos lobos, os cachorros, que são seus descendentes, também se comunicam pela voz. Eles não conseguem uivar, mas latem. Cada latido tem um significado diferente. Existem latidos específicos para medo, raiva, fome, paquera e muito mais. Outra maneira muito...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This