Masaru Ibuka, sócio da Sony, disse a outro sócio, Akio Morita, que gostaria de ouvir música o tempo todo, mas que carregar o equipamento era muito desconfortável. Morita imaginou que muitos jovens tinham o mesmo problema. Assim, pediu a seus funcionários que construíssem um pequeno toca-fitas experimental, com fones de ouvidos leves e confortáveis. Quando o primeiro walkman foi desenvolvido, em abril de 1979, muitos disseram que o pequeno aparelho não venderia. Mas Morita acreditou na ideia. Os vendedores continuavam sem entusiasmo, até que ele lançou um desafio: se a Sony não vendesse 100 mil aparelhos até o final daquele ano, ele renunciaria à presidência da empresa, fundada em 1946. Só nos dois primeiros meses, foram vendidos 50 mil. Morita ganhou a aposta.