O fundador do protestantismo foi Martinho Lutero. Para restaurar a catedral de São Paulo, o papa Leão X passou a vender indulgências, que diminuiriam a punição do pecador. Indignado com isso, em 31 de outubro de 1517 Lutero denunciou a prática. O papa o chamou de “alemão bêbado”. Lutero disse que o papa não era “melhor do que qualquer outro pecador fedorento”. Acabou excomungado.

Ao ser ameaçado com a fogueira, Lutero se refugiou na Alemanha, onde se dedicou à tradução do Novo Testamento do grego para o alemão.

Como líder espiritual da nova Igreja, que celebrava apenas os sacramentos do batismo e comunhão, Lutero lutou pela eliminação do celibato. Casou com a ex-freira Katharina von Bora.

Seus protestos se espalharam por toda a Europa, ganhando adesão de João Calvino, que sistematizou os pontos básicos do protestantismo.

Depois dessas reformas, os ramos protestantes se multiplicaram e hoje são mais de 200.