BETO BARBOSA

Beto Barbosa
“Adocica, meu amor, adocica”. Depois de vender mais de 4 milhões de discos, o rei da lambada chegou ao fundo do poço em 1996 quando foi acusado de agressão. Ele se meteu em uma confusão em uma boate com Luiza Ambiel, a musa da banheira do Gugu, com direito a cenas de ciúme e tapas na cara. Depois, entrou na onda do forró universitário.

Márcia Ferreira
A mineira clama para si a autoria da versão em português do superhit lambadeiro Chorando se Foi. A canção, escrita pelo grupo boliviano Los Kjarkas, foi gravada por diversos artistas da época, entre eles o grupo Kaoma. Márcia começou a carreira com um disco de músicas românticas. Depois, assumiu de vez seu lado “requebra”.

Cid Guerreiro
A vasta e encaracolada cabeleira loira era uma de suas marcas registradas. Ele a sacudia enquanto entoava “vem pra mim, vem dançar (…) na lambada louca, na lambada louca”. Antes da febre da lambada, o cantor já havia emplacado outras músicas. É dele Ilariê, gravada pela apresentadora e Rainha dos Baixinhos Xuxa.

Kaoma
Os franceses Olivier Lorsac e Jean Karakos foram os responsáveis pela criação da banda. Após passar férias na Bahia, Lorsac teve a idéia de apresentar a lambada à Europa. Reuniu com a ajuda de Karakos um grupo formado por instrumentistas da França, backing vocals do Senegal e vocalista e dançarinos do Brasil. A misturança deu o Kaoma, que se tornou conhecido com as músicas Lambada e Dançando Lambada.