Vivemos na era do politicamente correto.  Algo que parecia natural vinte anos atrás pode sofrer a maior patrulha nos dias de hoje.  Por isso é preciso tomar muitas precauções. Por exemplo, na hora de fazer um relançamento comemorativo do filme E.T., o Extraterrestre (1982), em 2002, o diretor Steven Spielberg usou efeitos digitais para mudar certos aspectos. A espaçonave foi modificada para  parecer mais real, assim como algumas expressões do pequeno alienígena. Porém, não foi isso que mais chamou a atenção, e sim a alteração visual da cena em que a bicicleta escapa dos agentes armados. Peraí: armados?!?  Na versão de 2002, os rifles dos policiais são trocados por inofensivos walkie-talkies. Dá para conferir no trailer aos 1min13.

Quando teve que alterar o trailer de Watchmen (2009), por causa de um personagem estar apontando a arma para a câmera, o diretor Zack Snyder resolveu parodiar o episódio politicamente correto de Spielberg. Como o problema parecia ser apenas que o assassino mirava no telespectador, durante aquelas frações de segundo o revólver foi trocado digitalmente também por um walkie-talkie. Nos frames seguintes, a arma volta a aparecer.

Outro caso é a modificação digital de desenhos japoneses para adequá-los ao público infantil ocidental. Ao levar o desenho “One Piece” para os Estados Unidos, a empresa 4Kids removeu tudo o que envolvia sangue, cigarros e decotes. As armas de fogo usadas por praticamente todos os personagens, que são piratas, foram trocadas por armas de brinquedo, com rolhas na ponta ou pistolas d’água. Rum, cerveja e outras bebidas alcoólicas acabaram trocadas por suco de laranja. A imagem mais emblemática é a de Sanji, um dos personagens principais. Na versão americana, seu cigarro foi trocado por um pirulito.