FESTIVAL DE GRAMADO

Em 1969, a organização da Festa das Hortênsias em Gramado (RS) incluiu no calendário das comemorações a exibição de filmes nacionais. O sucesso da iniciativa levou o Instituto Nacional de Cinema (Inacen) a oficializá-lo em 1973 como um evento independente. Surgia assim o Festival de Cinema Brasileiro de Gramado.

Composto por mostras competitivas, o Festival premia os longa-metragens, documentários e produções de média e curta-metragem de maior destaque no ano. Os ganhadores, escolhidos por uma comissão, são contemplados com o troféu Kikito. A estatueta foi criada pela artista plástica Elisabeth Rosenfeld para a 1ª Feira Nacional de Artesanato, em 1972. Segundo ela, se trata da representação do ?deus do bom-humor?. A imagem era feita em madeira de imbuia até 1990. Depois, passou a ser esculpida em bronze.

A primeira edição do evento, que ocorreu entre 10 e 14 de janeiro, elegeu como melhor filme Toda Nudez Será Castigada, dirigido por Arnaldo Jabor. Em 1992, latino-americanos passaram a ser aceitos na programação. Outros trabalhos de língua latina também passaram a participar a partir de 1999. Em 2001, os brasileiros começaram a concorrer em uma categoria separada. Confira a seguir todos os ganhadores do Festival na categoria melhor longa-metragem:

1973

Toda Nudez Será Castigada

 

1974

 

Vai Trabalhar, Vagabundo

 

1975

 

O Amuleto de Ogum

 

1976

 

O Predileto

 

1977

 

À Flor da Pele

 

1978

 

Doramundo

1980

 

Gaijin, Caminhos da Liberdade

 

1981

 

Cabaret Mineiro

 

1982

 

Pra Frente, Brasil

 

1983

 

Sargento Getúlio

 

1984

 

O Baiano Fantasma

 

1985

 

A Marvada Carne

 

1986

 

Tenório Cavalcanti

 

1987

 

Anjos do Arrabalde

 

1988

 

A Dama do Cine Shangai

 

1989

 

Festa

 

1990

 

Stelinha

 

1991

 

Não Quero Falar Sobre Isso Agora

 

1992

 

Tecnicas de Duelo (Colômbia)

 

1993

 

Um Lugar no Mundo (Argentina)

 

1994

 

Morango e Chocolate (Cuba)

 

1995

 

Amnésia (Chile)

 

1996

 

Quem Matou Pixote?

 

1997

 

Os Matadores

 

1998

 

Pizza, Birra, Faso (Argentina)

 

1999

 

Os Amantes do Círculo Polar (Espanha)

 

2000

 

Pantaleon y Las Visitadoras (Peru)

 

2001

 

Um Amor de Borges (Argentina)
Memórias Póstumas

 

2002

 

La Perdición de Los Hombres (México/Espanha)
Durval Discos

 

2003

 

Los Lunes al Sol (Espanha)
De Passagem

 

2004

 

Whisky (Uruguai, Argentina, Alemanha e Espanha)
Vida de Menina

 

2005

 

Un Mundo Menos Peor (Argentina)
Gaijin ? Ama me Como Sou

 

2006

 

El Violin (México)

 

Serras da Desordem