MARTA CRAQUE DO FUTEBOL FEMININO

  • Marta Vieira da Silva nasceu no dia 19 de fevereiro de 1986, na cidade de Dois Riachos, no sertão de Alagoas.
  • A atleta estudou somente até a quinta série. Ela conta que matava aula para jogar futebol.
  • Marta começou a jogar na equipe juvenil do CSA, de Alagoas. Em julho de 2000, Marta resolveu tentar uma vaga no time do Vasco. Viajou dois dias de ônibus até o Rio de Janeiro. No primeiro dia de testes, Marta foi ao Estádio de São Januário, mas a equipe estava treinando num campo na Ilha do Governador.
  • Aos 17 anos, foi convidada para jogar no Ümea SK, da Suécia, por causa das boas atuações que teve no Pan-Americano de Santo Domingo, na República Dominicana (o Brasil conquistou a medalha de ouro), e na Copa do Mundo de 2003, nos Estados Unidos.
  • Quando Marta chegou à cidade de Ümea, a temperatura era de 15 graus negativos.
  • Depois que foi jogar na Suécia, a situação financeira de Marta e da família mudou muito. A jogadora construiu para a mãe a primeira casa com escada e segundo andar da cidade de Dois Riachos.
  • Na Seleção Brasileira, o apelido de Marta é “Zefe”. Trata-se de uma referência à corredora mineiroa Maria Zeferina Baldaia, vencedora da São Silvestre em 2001. As jogadoras da Seleção consideram a fisionomia e a história das duas atletas muito parecidas.
  • Em 2004, Marta foi indicada pela primeira vez ao título de melhor jogadora da Fifa, mas ficou em terceiro lugar. No ano seguinte, recebeu uma nova indicação e ficou em segundo. Em 2006, ela foi novamente indicada ao prêmio e se tornou a primeira brasileira a conquistar a honraria. Repetiu a conquista em 2007, 2008, 2009 e 2018.
  • O ano de 2007 é considerado por Marta como o mais importante de sua carreira. Com a seleção brasileira, ela ficou com a medalha de ouro dos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro e com o vice-campeonato da Copa do Mundo, na China . Individualmente, foi escolhida como a melhor jogadora do mundo pela Fifa, melhor jogadora da Copa do Mundo de 2007 e melhor atacante do futebol sueco. Marta ainda entrou para a calçada da fama do Maracanã.
  • Marta foi a primeira mulher a ser convidada para o jogo contra a pobreza, organizado por Ronaldo e Zidane, embaixadores da Boa-Vontade do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Não compareceu porque estava contundida. Ela tinha sido escalada para jogar no time de Ronaldo.