ATHLÉTICO-PR

1. O Atlético Paranaense surgiu em 1924 a partir da fusão de dois clubes tradicionais do Paraná que viviam períodos de crise técnica e financeira: o América e o Internacional.

2. A fusão na verdade deveria ter se concretizado ainda em 1923, mas foi protelada em um ano porque os dirigentes não chegavam a um consenso quanto às cores da equipe. No final das contas optou-se pelo vermelho, preto (vermelho do América e preto do Internacional) e branco (de ambos). Logo no seu segundo ano, em 1925, o Atlético Paranaense foi campeão estadual.

3. Um clássico histórico contra o Coritiba em 1933 transformou o Atlético no “clube da raça”. A maioria dos jogadores do rubro-negro estavam gripados e o time tentou, sem sucesso, transferir a data da partida. Mesmo debilitados, os atleticanos levaram a melhor e venceram o “Atletiba da gripe” por 2 x 1.

4. O Atlético Paranaense foi o primeiro time do Paraná a contratar um jogador estrangeiro: o paraguaio Ruben Aveiro chegou ao clube em 1943.

5. O Atlético Paranaense foi um dos primeiros times brasileiros a ter uma torcida organizada: a “charanga” do Atlético tinha 200 torcedores e acompanhou jogos do time em 1946.

6. O Atlético se mostrou imparável na temporada de 1949. Foram seis vitórias em seis jogos no primeiro turno com 27 gols marcados. O suficiente para a imprensa local apelidar o time como um “tufão”. Depois, o tufão cresceu com outras cinco vitórias no segundo turno e se tornou um verdadeiro Furacão, apelido que desde então acompanha o clube. O Furacão de 1949 só perdeu o último jogo daquele Campeonato Paranaense, quando já tinha o título assegurado.

7. Em 1968 o torcida do Atlético levou uma bandeira de 480 metros para um jogo na Baixada. A novidade iniciou uma disputa entre torcidas de todo o Brasil para ver quem conseguia fazer a maior bandeira.

8. Ao todo, o Atlético Paranaense já teve seis presidentes de sobrenome Guimarães.

9. Como seus fundadores eram membros da alta classe curitibana, o Atlético foi durante muito tempo considerado um clube de elite. O time era chamado de “cartola”, em referência ao chapéu usado pelos mais abastados. Em 1973 surgiu uma campanha para mudar essa imagem e o Furacão passou a se autoproclamar “Clube do Povão”.

10. Em 1982 o Atlético contratou os atacantes Assis e Washington, que mais tarde se tornariam ídolos do Fluminense. Assis, católico e devoto de Nossa Senhora, reparou que muitos locais em Curitiba prestavam uma reverência à Nossa Senhora de Salette. Os jogadores, então, passaram a se reunir em uma capela dedicada à santa, que se tornou desde então a padroeira do Furacão.

11. Até 1988 o Atlético tinha um escudo e um uniforme muito semelhantes ao do Flamengo. A diretoria da época optou então por mudar o escudo, adotando um formato circular, e também o desenho da camisa, que passou a ter listras verticais e não mais horizontais.

12. O Atlético Paranaense foi o primeiro clube brasileiro a inaugurar um estádio com um conceito de “arena”: a Arena da Baixada foi inaugurada em 1999 substituindo o Estádio da Baixada.

13. Da mesma forma, o Furacão foi o primeiro brasileiro a vender o nome de seu estádio. Entre 2005 e 2008 o local foi batizado como Kyocera Arena após a venda do naming rights para a empresa japonesa de produtos eletrônicos Kyocera.

14. Ao todo, a Arena da Baixada passou por oito grandes reformas em sua história. A última, concluída em 2014, credenciou o estádio a receber quatro partidas da Copa do Mundo de 2014.

15. O Atlético Paranaense foi o único time do Paraná a disputar uma final continental. Em 2005 o clube chegou à decisão da Libertadores, onde foi derrotado pelo São Paulo após um empate em 1 x 1 em Porto Alegre (a Arena da Baixada não tinha a capacidade de público mínima exigida para uma final) e uma derrota por 4 x 0 no Morumbi.

16. Desde essa final, o Atlético disputou apenas mais uma grande decisão: foi em 2013, na Copa do Brasil. Coincidência infeliz: novamente não pôde jogar na Arena da Baixada, na ocasião fechada para obras. O Furacão empatou em 1 x 1 na Vila Capanema, em Curitiba, e perdeu o título para o Flamengo com uma derrota por 2 x 0 no Maracanã.

17. No ano seguinte, 2006, o Atlético surpreendeu o futebol mundial ao contratar o alemão Lothar Matthaus para ser seu treinador. O trabalho durou pouco: ainda em março o alemão deixou Curitiba alegando problemas pessoais.

18. Desde que subiu para a Série A do Campeonato Brasileiro em 1995, o Atlético Paranaense só ficou fora da primeira divisão em 2012. Apenas Flamengo, Cruzeiro, Santos, Internacional e São Paulo acumulam mais participações na elite no período.

19. Em 2013, o Atlético Paranaense foi o primeiro clube brasileiro a romper com uma disputa de um Campeonato Estadual em função do número elevado de jogos. O time usou uma equipe Sub-23 no Campeonato Paranaense e aproveitou as datas livres para fazer excursões pela Europa com a equipe profissional.

20. Em 2017, o Furacão voltou a fazer história ao lado do rival Coritiba: ao não assinar um contrato de valor considerado baixo para os direitos de televisão, os dois times optaram por transmitir o clássico AtleTiba pelo Facebook. A Federação Paranaense de Futebol resolveu adiar o jogo após a entrada dos times em campo alegando que a transmissão particular contratada pelas equipes não tinha credencial para estar no estádio.