Já são tantas horas de futebol todas as semanas na TV… Mesmo assim, muitas vezes a ficção se apodera do tema e cria jogadores de mentirinha. Alguns já marcaram época em novelas e filmes. Confira 10 craques (ou não) da ficção que deram muito o que falar:
1. Jorge Tufão
Interpretado pelo ator Murilo Benício na novela “Avenida Brasil” (2012), da Rede Globo, Tufão é o maior ídolo da história do Divino F.C., equipe também fictícia. Depois de uma trajetória de sucesso na Europa, ele volta ao Brasil e decide jogar no Flamengo. Fora de forma, Tufão atua apenas em algumas partidas pelo rubronegro antes de encerrar a carreira. Aposentado, muda-se para o bairro do Divino, local em que irá se desenrolar grande parte da trama. Ainda sobre o personagem, há quem diga que ele foi inspirado em Ronaldo Fenômeno, principalmente no que se refere ao sobrepeso às vésperas de abandonar os gramados. Além disso, o próprio Ronaldo afirmou, em entrevista, que conseguia enxergar muitas semelhanças entre seu pai (Nélio Nazário) e o pai de Tufão, Leleco (interpretado por Marcos Caruso).
2. Renildo
É o famoso caso de garoto de origem humilde que passa a juventude perseguindo o sonho de ser jogador de futebol e de namorar a menina mais bonita do bairro. Na novela “Suave Veneno” (1999), da Rede Globo, o ator Rodrigo Faro interpretou o jovem Renildo, jogador do Flamengo. Depois de algumas partidas como titular, ele se torna ídolo da torcida e, de quebra, conquista o coração de Marina (Deborah Secco), grande paixão de sua infância. Só que, em seguida, Renildo é diagnosticado com um tumor no cérebro e se vê obrigado a abandonar o futebol.  De acordo com Aguinaldo Silva, autor da trama, a intenção original era provocar a morte do personagem por causa de uma doença degenerativa. Mas, como ele fez sucesso entre o público, Aguinaldo escolheu uma doença que pudesse ser curada.
3. Luca
Personagem principal da novela global “Vereda Tropical” (1984-1985), que marcou a estreia de Carlos Lombardi como autor de folhetins, com supervisão de Sílvio de Abreu. Luca foi interpretado pelo ator Mário Gomes. De grande talento para o futebol, destacava-se desde garoto nas peladas do bairro, mas seu temperamento forte acabava por prejudicá-lo nas tentativas de atuar por grandes times. Mesmo assim, o ídolo do time do Cantareira é descoberto pelo Corinthians e, no último capítulo da trama, estreia com a camisa do clube paulista. Curiosamente, a gravação desse episódio ocorreu durante uma partida de verdade, válida pelo Campeonato Brasileiro de 1985, no Morumbi (eu estava no estádio neste dia!). O Vasco vencia por 2 x 1 quando o atacante corintiano Serginho Chulapa marcou o gol de empate. Mário Gomes aproveitou-se do tumulto e invadiu o campo para abraçar o jogador. Tudo isso para aparecer na novela. Sem entender muito bem o que estava acontecendo, o árbitro da partida expulsou o artista do gramado. Nuno Leal Maia fez o papel do jogador Bertazzo, companheiro de Luca no Cantareira.
4. Santiago Munez
Protagonista da série de filmes “Gol” (2005) e “Gol: Vivendo o Sonho” (2007), Santiago Munez (Kuno Becker) é um mexicano que vive ilegalmente com a família em Los Angeles.  Ajuda o pai no trabalho de limpar piscinas. Chama a atenção de um olheiro durante uma partida com os amigos e vai fazer testes em alguns clubes ingleses. Na Terra da Rainha, chama a atenção do Newcastle, que decide contratá-lo. Já no segundo filme, transfere-se para o Real Madrid, onde conquista a Liga dos Campeões, tendo como companheiros de equipe Ronaldo, Zidane e Beckham.
5. Marrentinho Carioca
Trata-se de uma paródia ao ex-jogador Marcelinho Carioca. Grande destaque do Tabajara F.C., time fictício criado pelos integrantes do Casseta & Planeta e inspirado no famoso time pernambucano Íbis, Marrentinho Carioca foi interpretado pelo já falecido Bussunda. Mais do que pelo futebol apresentado, ele é conhecido por ser um grande frequentador de baladas e tem como marca registrada a frase “Fala Sério, Aí!”. Nunca fez gols pelo “pior time do mundo”, mas tem participação no recorde de público em partidas da equipe: sua mãe estava presente no dia em que o Tabajara levou três torcedores ao estádio.
6. Robert Hatch
Em “Fuga para a vitória” (1982), Sylvester Stallone é o goleiro do time de prisioneiros de guerra que irá enfrentar a seleção alemã em um amistoso. Na partida, Robert Hatch e seus companheiros têm a dura missão de impedir a demonstração da força ariana e, de quebra, pôr em prática um ousado plano de fuga. Entre os colegas de time, estão os jogadores Luis Fernandez e Terry Brady, interpretados por Pelé e Bobby Moore, respectivamente.
7. Oliver Tsubasa
Protagonista do desenho animado “Super Campeões”, inspirado no mangá “Captain Tsubasa” e considerado ainda hoje uma grande responsável pela popularização do futebol no Japão. Oliver Tsubasa é o grande craque da Seleção Japonesa e um dos destaques do time do São Paulo. Quer se tornar o melhor jogador do mundo. O auge de sua carreira acontece quando é contratado pelo Barcelona, e suas principais jogadas são ao estilo das artes marciais que tanto fazem sucesso na terra do sol nascente: a trivela voadora e o chute voador.
8. Allejo
Todos os fãs de jogos virtuais de futebol são unânimes: Pelé só é o rei do futebol porque nunca enfrentou o supercraque dos videogames, mais precisamente à série “Superstar Soccer”, lançada pela Konami na década de 90. Devido a um problema nos contratos de licenciamento, a empresa japonesa não foi autorizada a utilizar o nome verdadeiro dos jogadores. Assim nasceu Allejo, o camisa 7 da Seleção Brasileira. Inicialmente inspirado em Bebeto, logo se transformou na versão digital de Ronaldo Fenômeno. Teve tanto destaque que ganhou em sua homenagem na Internet um vídeo intitulado “Allejo Eterno”, uma referência ao filme “Pelé Eterno”.
9. Duda
Na novela “Irmãos coragem (1970-1971), da Rede Globo, o garoto Duda (Cláudio Marzo) sai da pequena cidade fictícia de Coroado, localizada no interior de Goiás, para tentar a sorte como jogador de futebol no Rio de Janeiro. Dono de grande talento, ele é contratado pelo Flamengo. Como a autora Janete Clair pouco entendia de futebol, a emissora contratou o jornalista e ex-técnico de futebol João Saldanha para construir o personagem. A novela ganharia ainda um remake em 1995. Nesta versão, o papel de Duda ficou com o ator Marcos Winter (foto acima).
10. Mingo

Para compor o personagem da novela “Bandeira 2” (1971), o ator Osmar Prado não teve dúvidas. Escolheu para lhe dar “consultoria” Garrincha, já em fim de carreira, que na época atuava pelo Olaria-RJ, mesma equipe de Mingo, o jogador fictício. E as aulas do “craque das pernas tortas” surtiram efeito: o personagem ganhou destaque na trama cuja intenção era mostrar a relação entre presidentes de clubes de futebol e o jogo do bicho no Rio de Janeiro.
11. Coalhada
Criação e interpretação do humorista Chico Anysio para o programa “Chico City” (1973-1980), da Rede Globo. Otávio Arlindo Nunes do Nascimento, o “Coalhada”, deu muitas alegrias ao torcedor brasileiro. Não pelo seu desempenho em campo, mas sim pelas risadas que provocava com seu estilo folclórico e irreverente. Apesar de se achar um craque, o jogador era um perna-de-pau e passava o tempo tentando se defender das críticas de torcedores e de jornalistas. Mesmo assim, não desistia: ao lado de seu empresário Bigode (Amândio Silva Filho), esforçava-se para mostrar o seu talento aos clubes brasileiros. Entre os bordões mais conhecidos do personagem, estão as frases “Mas, hein?” e “O que me atrapalha é a bola”. Em cada programa, aparecia com a camisa de um time diferente.
12. Asa Branca
Em  “Asa Branca – Um Sonho Brasileiro” (1981), Edson Celulari faz sua estreia no cinema. Asa Branca é um garoto humilde nascido no interior de São Paulo, que se torna um grande jogador de futebol. Ele chega a disputar uma Copa do Mundo pela Seleção Brasileira. Além de mostrar os desafios do rapaz dentro de campo, o filme ainda aborda as dificuldades da vida pessoal, como a relação com o dinheiro e o envolvimento com várias mulheres.