Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

Uma seleção de curiosidades sobre o Rei Pelé

10 de março de 2021
  1. Os Correios lançaram o selo em homenagem ao milésimo gol de Pelé em 28 de novembro de 1969 – apenas nove dias após o feito. No ano seguinte, Pelé aparece também no selo que saúda o tricampeonato mundial, conquistado no México.
  2. O fotógrafo Ronaldo Kotscho, de Placar, fez a foto de Pelé com a camisa da Seleção e o “Diretas Já” em 1984, num intervalo das filmagens do longa-metragem “Pedro Mico”, no Rio de Janeiro.
  3. Zaluar Torres Rodrigues levou o primeiro gol oficial de Pelé. O Santos venceu o Corinthians de Santo André por 7 x 1, em 7 de setembro de 1956. Pelé entrou no lugar de Pagão e marcou o sexto gol. Zaluar mandou fazer camisa comemorativa e cartões de visita para anunciar que levou o gol 0001 de Pelé. Faleceu em 1995.
  4. Às vésperas da Copa do Mundo de 1966, disputada na Inglaterra, a nova revista “Realidade” trouxe na capa do número 1 Pelé com o famoso chapéu usado pela guarda do Palácio de Buckingham.
  5. A primeira biografia do ídolo, “Eu Sou Pelé”, foi escrita pelo então repórter esportivo e hoje novelista Benedito Ruy Barbosa, em 1961. No livro, Pelé disse que pretendia jogar até 1965. “Depois, se Deus quiser, serei apenas um amador, que jogará por puro prazer”.
  6. O goleiro da Inglaterra na Copa de 1970 fez aquela que é considerada a “Defesa do Século”. Pelé deu uma cabeçada forte na bola e, segundo Banks, chegou a gritar gol. Banks fez uma defesa que parecia impossível.
  7. Pelé vira estátua depois de tentar fazer um gol do meio de campo no goleiro checo Viktor. A antológica tirinha do cartunista Henfil foi publicada em Placar na cobertura da Copa de 1970.
  8. A moeda com a efígie de Pelé foi o presente do primeiro número da revista Placar, de 20/03/1970. Pelé está na capa com a chamada: “Receita para ganhar a Copa”.
  9. O Museu Pelé, em Santos, foi inaugurado em 15 de junho de 2014, como um dos eventos em comemoração à Copa do Mundo, que estava sendo realizada pela segunda vez no Brasil. Dois anos antes, o primeiro museu dedicado a Pelé no mundo abriu as portas. Ele fica em Lugansk, na Ucrânia.
  10. Hors concours é um termo francês para algo excepcional, fora de série. Em 1971, a revista Placar decidiu que Pelé não poderia concorrer ao prêmio Bola de Prata, entregue aos melhores do Campeonato Brasileiro, por ser muito acima da média. O feito só seria repetido por Neymar em 2012.
  11. Pepe se apresenta como “maior artilheiro humano” da história do Santos. “Pelé não conta, é um ET”, diz. Pepe marcou 405 gols em 750 jogos. É o maior campeão do Santos, com 27 títulos, um a mais que Pelé.
  12. Coutinho foi o maior parceiro de Pelé no ataque do Santos. Eles criaram as tabelinhas. Por causa da semelhança dos dois, Coutinho dizia que vários gols seus acabaram atribuídos a Pelé.
  13. Ao marcar seu primeiro gol da Copa do Mundo do México, em 1970, contra a Tchecoslováquia, Pelé comemorou com um soco no ar. As TVs mostraram a cena de costas. Quem estava na frente do Rei era o fotógrafo Lemyr Martins, de Placar, que imortalizou a imagem.
  14. Em 1956, na final de um torneio local, em Santos, Pelé desperdiçou um pênalti e viu a equipe santista perder o título para o rival Jabaquara, que venceu por 2 x 1. Envergonhado, ele decidiu abandonar a concentração do Santos e voltar para a casa da família, em Bauru. Foi impedido de sair por um roupeiro.
  15. O documentário “Pelé Eterno”, dirigido por Aníbal Massaini Neto, foi lançado em 25 de junho de 2004. A pesquisa durou cinco anos e o filme tem 120 minutos de duração. Antes dele, o Rei estrelou outro documentário: “Isto É Pelé”, produzido em 1975 por Luís Carlos Barreto.
  16. Em 19 de dezembro de 1973, no Macaranã, a partida de despedida de Garrincha serviu também para arrecadar dinheiro para o jogador de 40 anos que se encontrava em dificuldades financeiras. A Seleção Brasileira enfrentou um combinado de estrangeiros que em sua maioria atuavam no país. Pelé, que havia se despedido da Seleção dois anos antes, jogou e fez o primeiro gol da vitória por 2 x 1. O chamado “Jogo da Gratidão” teve 155 000 pagantes e arrecadou o equivalente a 160 mil dólares para Garrincha.
  17. O fotógrafo Sebastião Salgado revelou em entrevista que estava para ser morto por uma tribo em Ruanda (sul da África), que pensava que ele fosse francês. Ele salvou-se falando o nome de Pelé e mostrando o passaporte brasileiro.
  18. Domício Pinheiro (1922-1998) ficou conhecido como “O Fotógrafo de Pelé” de tantos jogos e viagens que fez com o Rei. Domício publicou 400 de suas fotos no livro “Era Pelé – O Atleta do Século”.
  19. A apresentadora Hebe Camargo declarou o voto a Pelé na eleição de “O maior brasileiro de todos os tempos”, programa exibido pelo SBT em 2012. O ganhador foi o médium Chico Xavier. Pelé ficou no Top 12.
  20. Em 27 de setembro de 1977, Pelé recebeu o título de “Cidadão do Mundo”, conferido pela ONU. Em 1992, ele seria escolhido ainda Embaixador da Boa Vontade pela entidade sediada em Nova York.
  21. Depois do jogo do milésimo gol, alguns poucos amigos de Pelé foram convidados para uma festa de confraternização na casa de espetáculos Canecão. A cantora Cláudia fez um show em homenagem ao Rei.
  22. O Café Pelé é o produto mais emblemático que leva o nome do Rei. Pelé assinou o contrato em 1971. O produto é produzido pela Companhia Cacique de Café Solúvel, fundada por Horácio Sabino Coimbra em 1959.
  23. Na edição de janeiro de 1971, a revista Realidade fez um exercício de futurologia e tentou adivinhar como estaria Pelé aos 50 anos, em 1990. A maquiagem deixou Pelé um senhor grisalho e com um bigodão. Errou feio.
  24. Pelé interrompe seu banho e, todo ensaboado, cumprimenta o senador Bob Kennedy, irmão do presidente americano John Kennedy, em foto histórica de Domício Pinheiro. Bob foi assassinado em 1968.
  25. Pelé considera o humorista Beto Hora seu melhor imitador. Tanto que algumas imitações de Beto já enganaram a mãe, dona Celeste, e o braço-direito do jogador, Pepito Fornos.
  26. Ao atender um pedido de autógrafo, em 1962, em meio à Copa do Mundo do Chile, o trompetista americano Louis Armstrong deu de cara com um autógrafo de Pelé no mesmo caderno. Então, embaixo da assinatura do Rei, Armstrong abreu um parênteses e escreveu: “The best player in the world” (o melhor jogador do mundo).
  27. As primeiras tiras de Pelezinho, criado por Maurício de Sousa, foram lançadas em outubro de 1976. O gibi “Pelezinho” surgiu em outubro de 1977 e circulou até dezembro de 1982. Depois disso, o garoto bom de bola apareceria apenas em almanaques e edições especiais. Os outros personagens das aventuras foram inspirados em amigos da infância de Pelé: Teófilo, Neusinha, Frangão, Canabraba, Bonga, Jão Balão e Samira.
  28. Pelé foi convidado para apitar uma partida amistosa entre árbitros da cidade de Santos e de São Paulo, na Vila Belmiro, em 9 de novembro de 1961. O Rei expulsou o árbitro Olten Ayres de Abreu. Cinco dias antes,  Olten havia expulsado Pelé em um Santos x Juventus.
  29. Um dos mais cobiçados autógrafos do mundo já foi diferente. Ele costumava escrever “Edson Pelé”. Com o tempo, para cansar menos a mão, ficou apenas o “Pelé”.
  30. O livro “Jogando com Pelé”, que traz lições de controle de bola, passe, chute, cobrança de faltas e muito mais, foi lançado em 1974 pela Livraria José Olympio Editora, do Rio de Janeiro. O texto foi escrito por Júlio Mazzei e as fotos eram de Domício Pinheiro.
  31. Com a popularização dos videogames, na década de 1980, as produtoras resolveram investir na convocação de estrelas de futebol para batizar os jogos. O primeiro foi “Pelé’s Soccer”, em 1982, para Atari. Os jogadores eram pontos circulares azuis e laranjas. A bola, um quadrado branco.
  32. A grande inspiração de Pelé como jogador foi Dondinho, seu pai. Mas Dondinho disse, numa entrevista, que o estilo de Pelé lembrava o de seu irmão mais velho, Francisco. Chamado de “Chico do Jonas” ou “Lambari”, o tio de Pelé começou cedo, aos 15 anos, mas atuou em poucas temporadas na década de 1920. Morreu aos 25 anos.
  33. Torcedor do Santos, o fotógrafo Bob Wolfenson tinha fresca na memória uma imagem da infância: o dia em que viu Pelé andando na rua. Em 1995, Bob realizou o desejo de fotografar o Rei. Fez um retrato histórico: Dondinho, sendo beijado pelo filho, Pelé, e pelo neto, Edinho, que na época jogava como goleiro do Santos.
  34. Pelé foi expulso treze vezes em sua carreira. O primeiro cartão vermelho veio em 22 de dezembro de 1957, numa vitória de 1 x 0 sobre o Corinthians, na Vila Belmiro. Das treze expulsões. Pelé recebeu o vermelho quatro vezes do árbitro Armando Marques. Ele o chamava em campo de “Senhor Edson”.

Leia também:
Pelé 80 anos. Minha primeira (e única) entrevista com o rei
Datas importantes na carreira de Pelé
Pelé já ficou no banco de reservas da Seleção Brasileira?
Qual foi a primeira partida oficial de Pelé
Pelé, o rei do futebol
Linha do tempo do Rei Pelé
Quem é a restauradora que cuida da camisa usada por Pelé na final da Copa de 1970
O hotel do milésimo gol do Rei Pelé

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Os bichos que viraram mascotes de futebol

Os bichos que viraram mascotes de futebol

Periquito e Porco O periquito representava o Palmeiras, até ser trocado pelo porco. Durante o Campeonato Paulista de 1969, o Corinthians pediu permissão à Federação Paulista de Futebol para contratar 2 jogadores que substituíssem 2 que haviam falecido. Todos os clubes...

2 Comentários

2 Comentários

  1. Kathia

    Penei inspiração para os jogadores hoje e sempre

    Responder
  2. José Ricardo

    Emocionante!

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This