Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

A Copa do mundo mais fria de todos os tempos

18 de junho de 2010

Os jogos das 20h30 (ou 15h30 no Brasil) têm sido uma tortura. Faz frio demais aqui na África do Sul! Foi assim que descobri por que os torcedores sul-africanos dançam tanto nos estádios. Deve ser mesmo para espantar o frio. Na última terça-feira, quando o Brasil venceu a Coreia do Norte por 2 x 1, os termômetros de Johanesburgo variaram entre 0º C e 6 º C. Mas a sensação térmica chegou a 4 graus negativos. Ontem, em Polokwane, fui ver México 2 x França 0. Eu estava todo encapotado e estava difícil suportar os 4 graus.

Todas as Copas do Mundo ocorreram entre o final de maio e o de julho, período de verão no hemisfério norte.
Apenas outras quatro Copas (1930, 50, 62 e 78) foram realizadas durante o inverno. Segundo uma pesquisa feita pelo jornalista Max Gehringer, a Copa mais fria até então tinha sido a de 1930, no Uruguai. No jogo de estreia do Brasil, que perdeu por 2 x 1 para a Iugoslávia, as temperaturas variaram entre 5º e 9º. Como se não bastasse, o vento vindo dos Andes fazia com que a sensação térmica fosse de 0º C. Os jogadores brasileiros entraram em campo vestindo duas camisetas sob a camisa da seleção. Havia até craques com folhas de jornal forrando as meias, para garantir que os pés ficariam aquecidos. No intervalo, dá-lhe cobertor e chá quente.

Nas Copas do Brasil (1950) e Chile (1962), os jogos eram todos realizados à tarde. Por isso, não houve grandes problemas por causa do inverno. Já na Argentina, em 1978, algumas partidas foram disputadas à noite. Na partida entre Argentina e Peru, vencida pela seleção anfitriã por 6 x 0, os jogadores na reserva acompanharam os jogos enrolados em cobertores.
E olha que o inverno só começa na segunda-feira…

Web Stories

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

A volta dos Botões Brianezi

A volta dos Botões Brianezi

Desde o final de 2020,  o empresário Alexandre Badolato passou a ser chamado de "Alexandre da Brianezi". Depois de 20 anos fora do mercado, a Botões Brianezi voltou a existir por causa de um acordo feito entre ele e Lúcio Brianezi, herdeiro da marca. Paulo Brianezi,...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Share This
Qual é a origem do Creme Nivea? Você conhece o axolote, o “monstro aquático”? As pioneiras da ficção Científica A bandeira brasileira com uma estrela vermelha