Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

De onde vem a expressão “outros quinhentos”?

24 de abril de 2019

Hoje utilizada para se referir a algo que se pretende tirar de alguma discussão, a expressão, como tantas outras do nosso idioma, vem de Portugal. A origem foi na Península Ibérica, no século XIII.

Quando qualquer fidalgo da época se sentia lesado por alguma injúria tinha o direito de pedir a condenação do agressor. Se fosse constatada de fato a agressão, o responsável teria de pagar 500 soldos (moedas de ouro na Roma antiga) para ser absolvido.

Se o condenado voltasse a cometer um delito semelhante, deveria pagar outros 500 soldos. “Compreende-se que outra qualquer vilta, vitupério sem razão, posterior à multa cobrada, não seria incluída na primeira. Matéria para novo julgamento. Outra culpa. Outro dever. Seriam, evidentemente, outros quinhentos”, escreveu Luis Câmara Cascudo em seu livro “Locuções Tradicionais no Brasil”.

Vem daí a expressão: se cometer um delito, vão embora quinhetos soldos. Mas e se cometer uma nova injúria? Bom, aí são outros quinhentos…

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Por que o céu é azul?

Por que o céu é azul?

A razão pela qual o céu é azul está relacionado em como a luz do sol é espalhada pelas moléculas que nós temos na nossa atmosfera. Na verdade, a luz do sol tem vários comprimentos de onda, tem várias cores, então a emissão do sol é emissão em banda larga com várias...

A profissão de secretária

A profissão de secretária

A palavra “secretária” vem do latim e deriva dos seguintes termos: Secretarium e secretum (retiro, lugar retirado); Secreta (particular, segredo). A ideia é que as secretárias sejam pessoas que guardem segredos. Os primeiros registros da profissão de que se tem...

Como nasceu o jogo do bicho?

Como nasceu o jogo do bicho?

"A ideia foi do mexicano Manuel Zevada em 1893", afirma Ângela Sevastano, folclorista do Museu do Folclore de São José dos Campos (SP). Ele era amigo do barão João Batista Viana Drummond. Progressista e apoiador da causa...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This