Em 1948, Roberto Sampaio Ferreira recebeu como pagamento de uma dívida uma máquina de extração de esponjas de lã de aço, até então um produto importado, caro e pouco acessível. Depois de quatro anos, Ferreira decidiu substituir os métodos artesanais de produção por duas novas máquinas e instalou a primeira fábrica de esponjas de aço no país, comercializadas com o nome Bombril.