Novo Livro O Guia dos Curiosos - Edição Fora de Série

10 celebridades reclusas

24 de abril de 2019

1. Bettie Page
A atriz-símbolo da geração pin-up foi diagnosticada com esquizofrenia em 1979. A doença fez com que Bettie — que já não era muito chegada à publicidade — decidisse se afastar de vez da vida pública.

2. Bill Watterson
O criador do personagem dos quadrinhos Calvin foi a pessoa mais jovem a receber o prêmio Reuben — o principal da “National Cartoonists Society” (“Associação Nacional dos Cartunistas”). Apesar disso, parou de desenhar em 1995, e desde então recusou entrevistas, autógrafos e não deixou fazerem produtos com seus personagens.

3. Greta Garbo
A atriz sueca não assinava autógrafos, não respondia cartas de fãs e recusava a maioria dos convites que recebia. O principal deles foi em 1955, na festa do Oscar, em que ganharia uma estatueta honorária — se tivesse ido. Aos 36 anos, em 1941, Garbo anunciou uma aposentadoria temporária. Nunca mais voltou a trabalhar, e morreu 49 anos depois, em 1990.

4. J. D. Salinger
O autor de “O Apanhador no Campo de Centeio” (1951), um dos livros mais influentes do século XX, não gostava muito de aparecer. Recusou todos os convites para levar seu livro mais famoso para os cinemas. Seu relacionamento com a escritora Joyce Maynard começou quando ele escreveu uma carta alertando-a dos perigos de uma vida com fama. Se isolou na cidade de Cornish, interior dos Estados Unidos, por cerca de 50 anos. Ele viveu lá até sua morte, em 28 de janeiro de 2010.

5. Howard Hughes
A história de excentricidade de Hughes ficou conhecida no filme “O Aviador”, em que Leonardo DiCaprio interpreta o bilionário. Portador do transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), o empresário teve sua primeira crise de reclusão em 1947, quando se trancou em uma sala de cinema por 4 meses e só tomou leite, comeu chocolate e fez suas necessidades em garrafas vazias. Daí em diante, Hughes nunca mais se recuperou, e se recusava até mesmo a ir a audiências em que sua empresa aérea era acusada de práticas ilegais. Morreu em 1976, sozinho e irreconhecível.

6. Marcel Proust
O escritor sempre teve tendência a ser recluso, mas as mortes de seu pai, em 1903, e de sua mãe, em 1905, acentuaram a solidão, assim como pioraram sua saúde. Em 1919, três anos antes de morrer, Proust raramente saía de seu apartamento à prova de som em Paris, e trabalhava em um escritório sem janelas.

7. Syd Barrett
Um dos fundadores da banda Pink Floyd, Barrett deixou o grupo após o lançamento dos dois primeiros álbuns. Tentou uma carreira solo, sem sucesso. Passou a viver em um quarto de hotel em Londres, até 1978, quando seu dinheiro acabou e voltou a morar com a mãe, em Cambridge, também na Inglaterra. Readotou seu nome de batismo, Roger, e passou o resto de seus dias pintando quadros e cuidando dos jardins. Morreu em 2006, sem fazer nenhuma aparição pública em quase trinta anos.

8. Thomas Pynchon
O escritor recusou praticamente todas as tentativas da imprensa de contactá-lo desde o lançamento de seu primeiro livro, “V.”, em 1963. Na verdade, existem poucas fotos do autor. Uma das únicas vezes em que aceitou aparecer foi no desenho “Os Simpsons”, em 2004, e chegou a dublar sua própria voz. Mesmo assim, Pynchon foi retratado com um saco na cabeça.

9. Harper Lee
Desde a publicação do romance “O Sol é para Todos” (1960), que vendeu mais de 10 milhões de cópias, a escritora Harper Lee, nativa do estado norte-americano do Alabama, recusa entrevistas. Apesar de aparecer em público esporadicamente, a ganhadora do prêmio Pulitzer não se atreve a dizer uma palavra. Em 2007, a já octogenária justificou sua atitude: “É melhor ficar em silêncio do que falar tolice”.

10. Emily Dickinson
A poetisa tinha uma vida bastante solitária. Falava com visitas através do vão da porta e entregava doces às crianças no Dia das Bruxas içando uma cesta pela janela do segundo andar de sua casa. Nas últimas duas décadas de vida, não saiu da fazenda de sua família. Especialistas dizem que seu comportamento era típico de pessoas com transtornos de ansiedade; outros atribuem a atitude como uma consequência de uma criação superprotetora.

 

Esta página contém links de afiliados. Ao fazer uma compra por um desses links, o Guia dos Curiosos recebe uma comissão e você não paga nada a mais por isso.

Artigos Relacionados

Por dentro do Memorial Clara Nunes

Por dentro do Memorial Clara Nunes

O Memorial Clara Nunes, em Caetanópolis-MG, cidade natal da cantora, acaba de completar nove anos. O museu, que já tem 10 mil itens catalogados, está fechado para reformas estruturais no momento. Conversamos com o historiador...

Curiosidades de Tarcísio Meira e Paulo José

Curiosidades de Tarcísio Meira e Paulo José

O pesquisador da história da TV brasileira Magalhães Júnior presta uma homenagem a dois grandes artistas que o Brasil perdeu nos dias 11 e 12 de agosto: Paulo José e Tarcísio Meira. Destacou três curiosidades de cada um deles: ...

Marilyn Monroe e a estátua da discórdia

Marilyn Monroe e a estátua da discórdia

Uma estátua de 8 metros de altura em homenagem à atriz Marilyn Monroe está dando o que falar em Palm Springs, nos Estados Unidos. Manifestantes foram ao local para apontar que a imagem é representada de uma forma depreciativa para as mulheres. [yotuwp type="videos"...

1 Comentários

1 Comentário

  1. Guilherne Silva

    Depois disso tudo, morreram e estão sozinhas eternamente!!!!
    Vidaaaaaça….

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This