CHULÉ

Os hormônios sexuais testosterona e estradiol são os principais responsáveis pelas transformações físicas e comportamentais nos jovens. São também responsáveis pelo chulé. Eles estimulam a produção de glândulas sudoríparas, que ocasionam a transpiração.

Dentro do sapato, principalmente do tênis, os pés não “respiram”. Este passa a ser um ambiente propício para o surgimento de bactérias e fungos. Eles causam maus cheiros, como o chulé, cujo nome científico é bromidrose.

Se a pessoa transpira em excesso, seja por causa de problemas de saúde ou emocionais, o chulé fica ainda pior.

Quando uma pessoa acorda com um monte de picadas nos pés, pode estar com um cheirinho ruim ali. Mosquitos e pernilongos picam essa parte do corpo porque o chulé atrai os insetos.

Para evitar o chulé:  

Prefira usar meias de algodão; as feitas com fios sintéticos retêm o suor e criam um ambiente ideal para fungos e bactérias.

Depois do banho, seque bem o vão entre os dedos.

Troque de meia todos os dias.

Não use tênis sem meia, pois piora o suor.

Evite usar o mesmo sapato todos os dias e coloque-o no sol uma vez por semana.

Use talcos e sprays contra bactérias.

Quando o tempo estiver quente, prefira usar sandálias e chinelos.