LIVRO SOBRE O COCÔ DE ANIMAIS
Curiosidades sobre bichos nunca são demais. Quem leu Girafa tem torcicolo?, de Guilherme Domenichelli, já aprendeu muitas coisas sobre o mundo dos animais, mas talvez não sobre os cocôs deles. Isso mesmo, existe um livro inteirinho a respeito disso: What shat that?: a pocket guide to poop identity (“Quem fez essa m…?: um guia de bolso para identificação de cocôs”), do designer britânico Matt Pagett, é uma referência completa para a identificação das fezes animais.

CURIOSIDADES DO COCÔ DO LEÃO

Cada uma das 50 espécies – do plâncton ao tiranossauro – contempladas ganha duas páginas com seus dados principais (localização, nome científico, dieta principal) e descrição da “caca” acompanhada por uma foto ou desenho. Vários fatos curiosos também são dados em todas as páginas, confira alguns:

Fezes de leão podem ser usadas como um substituto do próprio leão para assustar outros animais. Pelo cheiro, eles podem pensar que o grande felino está por perto. No Japão, o material foi espalhado por trilhos de trem para evitar que veados atravessassem a via, enquanto manifestantes ao redor do mundo têm o costume de atirar o engradado malcheiroso nos cavalos de polícia, que se assustam pensando que um predador está à solta.
Alguns chimpanzés em cativeiro desenvolvem o costume de comer o próprio cocô. O estranho é que essa conduta nunca foi vista em ambiente selvagem.
É comum encontrar latas de alumínio, caixas de pizza, relógios e até correntes de motocicleta em fezes de urso.

O autor escreveu outros livros interessantes, como Make your own sex toys, que ensina a confeccionar 50 tipos de apetrechos sexuais em casa, e Best dance moves in the world… Ever!, com 100 passos de dança ilustrados para quem quiser aprender a arrasar nas festas… com um livro.