Se você é daqueles que considera as expressões “Por favor” e “Obrigado” indispensáveis em sua visita a um restaurante, passe bem longe do Ed Debevic’s. Nesta lanchonete da cidade de Chicago, nos Estados Unidos, a etiqueta manda que os atendentes digam em alto e bom som aos clientes a frase também presente na capa do cardápio: “If you like what you are eating, order more. If you don’t, there is the door”. Em português, um sincero “Se você gostou do que está comendo, peça mais. Caso contrário, há a porta”. Além disso, as garçonetes atiram os cardápios sobre o colo do cliente, além de fazerem comentários sarcásticos sobre o peso, o cabelo e a roupa de quem estiver sentado na mesa. No Youtube, internautas colocam vídeos de como é a experiência de ser maltratado pelo atendente:

O estabelecimento existe desde 1984, quando Ed Debevic resolveu criar uma lanchonete temática dos anos 50, inspirada em um local no qual trabalhara na adolescência, o Lill’s Homesick Dinner, localizado na Highway 50. Ele conta que a proprietária do local tinha como lema a frase “Eat e get out” (“Coma e caia fora”), o que o levou a adotar tática de atendimento tão inusitada em seu próprio negócio.

Apesar da aparente hostilidade, também há espaço para animação no Ed Debevic’s: em determinados momentos, os garçons dançam em cima do balcão.

Também em Chicago, outro estabelecimento é bastante conhecido pela falta de etiqueta de seus funcionários. Trata-se do Wiener’s Circle, onde os garçons recebem os visitantes de forma pouco usual, com um ofensivo “What the f*ck do you want, bitch?” (Que p**** você quer, p***?), além de atirarem Hot Dogs no rosto dos clientes caso eles respondam aos insultos. E há quem leve essa inusitada tática de atendimento para outras localidades. O Dick’s Last Resort, por exemplo, espalha por 14 cidades americanas xingamentos e atitudes dos atendentes como atirar bolas de papel nos clientes e obrigá-los a vestir um chapéu com os dizeres “Eu tenho herpes”.

Estilo parecido tem o La Parolaccia de Cencio, em Roma, inaugurado em 1941 por Vincenzo Cencio e Renata de Santis. Lá, o cliente passa por situações ainda mais embaraçosas do que nos restaurantes americanos. No livro Os endereços curiosos de Roma (link), a autora Cláudia Monteiro Castro relata que os clientes recém-chegados ao local ouvem dos garçons a seguinte pergunta: “Fez a reserva? Senão, cai fora.” Ou então, se entra uma mulher bem arrumada, eles logo soltam a pérola: “Xiiii, mais uma p…”. Casal que for ao lugar, também é bom estar preparado para lidar com a expressão “buona scopata” (“Boa noite de sexo”) ao ir embora.

Mas a inconveniência e o mau humor dos garçons são apenas uma parte do show. No fim da noite, um animador munido de um microfone começa a tirar sarro das pessoas e canta versões sujas de músicas famosas no país. Para completar a atração, ele bebe vinho do copo dos clientes, rouba cigarro e ainda pede um pouco da comida. Ah, sim: nos dois estabelecimentos, os clientes deixam gorjetas.