A dicção do ex-primeiro ministro britânico Winston Churchill não era das melhores. Os dentes do estadista não eram bem cuidados, o que o obrigou a se render às dentaduras. Pois ele tinha uma coleção de dentaduras, e fazia questão que elas fossem feitas sob medida, para que não apertassem demais. O uso dessas dentaduras – relativamente soltas na boca – era o que determinava seu jeito peculiar de falar.

Winston Churchill
A coleção está exposta no Hunterian Museum, em Londres. O museu abriga cerca de 3.500 itens do anatomista e cirurgião John Hunter, que viveu no século 18. As dentaduras de Churchill vieram mais tarde: foram doadas pela família Cudlipp. Vá preparado para encontrar bizarrices, como um tumor de 4,5 kg retirado (sem anestesia!) da face de John Burley e o esqueleto de um gigante de 2,30 metros.
Conheça outros museus ao redor do mundo que abrigam itens bem bizarros:

Museu dos Vampiros

A romântica cidade de Paris tem um espaço reservado aos góticos vampiros. Localizado no extremo leste da cidade, o Musée des Vampires é dedicado ao estudo desses seres fantasiosos – e assustadores – na cultura e folclore popular. Na coleção, podem ser encontrados livros, fantasias, esculturas e pôsteres de filmes, entre outras obras temáticas. Uma das mais arrepiantes atrações é um gato mumificado, que foi encontrado no cemitério local Père Lachaise.

Museu do Pênis

O Museu Islandês da Falologia possui 280 genitálias masculinas de 93 espécies diferentes. Dessas, 54 pertencem a 17 tipos de baleias, 36 são de espécies de focas e 150 são provenientes de 20 mamíferos terrestres distintos. A espécie humana não fica de fora da coleção: há quatro exemplares de pênis de homens, que foram gentilmente doados ao museu. A ideia de montar um museu dedicado ao órgão partiu do historiador Sigurdur Hjartarson, de 71 anos. Em 1974, ele ganhou um pênis bovino numa viagem a uma fazenda. Como forma de provocação, um professor de Hjartarson, que trabalhava em um centro de preservação de baleias, presenteou-o com um pênis dessa espécie. A coleção começou com esses dois exemplares. Três anos depois, quando o islandês abriu seu acervo ao público, ele já contava com 62 peças. O objetivo do museu não é incitar o erotismo, mas promover a pesquisa na área da falologia (o estudo do órgão sexual masculino), que sofre certo preconceito no meio científico.

Museu das Coleiras de Cachorros

O Castelo de Leeds, na Inglaterra, abriga o único museu de coleiras de cachorros do mundo. A coleção começou a ser formada por acaso, quando a mulher de John Hunt, um dos maiores estudiosos da Idade Média da Europa, doou ao castelo algumas coleiras que o marido guardava. Hoje, o acervo abriga 100 coleiras históricas usadas para domesticar cãezinhos.

Museu da Arte Ruim

É isso mesmo: este museu em Massachusetts (EUA) abriga obras de arte ruins. Isso não quer dizer que os artistas sejam incompetentes. Trata-se de uma coleção de peças não apreciadas pelos padrões vigentes, mas que não deixam de ser obras de arte. É um bom passeio para quem não é especialista em arte, e está atrás de um pouco de diversão. Para agregar valor à proposta descontraída do museu, cada obra é acompanhada por uma descrição bem-humorada.

Museu do Vaso Sanitário

Fica em Nova Déli, na Índia, o Museu Internacional do Vaso Sanitário, que abriga a maior coleção de privadas do mundo. O intuito do museu é contar, por meio da exposição de peças, a história evolutiva do utensílio de banheiro. Há peças de 2.500 a.C. até as utilizadas nos dias de hoje, de todos os designs possíveis e imagináveis. A atração é mantida por uma ONG local, que tem por objetivo ajudar a aprimorar as técnicas sanitárias, de grande importância para o desenvolvimento da humanidade ao longo da história.

Leia também: Os museus mais curiosos ao redor do mundo